NOTÍCIAS
21/06/2015 12:33 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Marta e as meninas da Seleção vão precisar da sua torcida para bater a Austrália

Minas Panagiotakis via Getty Images
MONTREAL, QC - JUNE 13: Marta #10 of Brazil moves the ball during the 2015 FIFA Women's World Cup Group E match against Spain at Olympic Stadium on June 13, 2015 in Montreal, Quebec, Canada. Brazil defeated Spain 1-0. (Photo by Minas Panagiotakis/Getty Images)

Se prepare. As jogadoras da Seleção e a camisa 10 Marta vão precisar suar para vencer o jogo deste domingo, às 14h (de Brasília), novamente em Moncton.

A Austrália é a décima seleção do ranking atual e sobreviveu ao Grupo D, o mais forte de todos na Copa do Mundo feminina, o chamado "Grupo da Morte", com Estados Unidos, Suécia e Nigéria.

O técnico Alen Stajcic, em entrevista ao site americana Bleacher Report, se mostrou confiante. "Qualquer equipe que esteja no top 10 ou top 12 pode vencer a Copa do Mundo". E completou: "Todas as equipes do topo podem ser derrotadas pelo próximos cinco ou seis da ordem de hierarquia. E eu nos colocou nessa faixa".

A campanha das Matildas, as segunda colocadas em sua chave, é inferior à brasileira. Mas ainda assim boa, devido as circunstâncias. Derrota para as americanas na estreia (1x3), vitória sobre as nigerianas (2x0) e empate (1x1) com as suecas. O Brasil até aqui segue 100%.

"Somos uma equipe jovem, mas bastante experiente. Embora ainda estejamos em fase de desenvolvimento, realmente acredito que nos próximos três ou quatro anos vamos ser uma potência mundial e quero que estar entre os dois ou três melhores times do mundo. A Austrália é uma nação conhecida por ser líder mundial em vários esportes. E nós queremos adicionar futebol entre eles".

A confiança brasileira tem nome: Marta

Ninguém que tenha sido eleita cinco vezes a melhor jogadora do mundo pode ser desacreditada. Mas Marta tem alguns toques a mais para além dos números. A técnica, a visão, os movimentos precisos e a liderança fazem da jogadora de 29 anos um porto seguro para o time brasileiro.

Nesse ano ela já se tornou a maior artilheira da história das Copas e agora persegue o sonho de se sagrar campeã pela primeira vez. Em 2007, Marta marcou sete gols e ajudou a seleção a chegar a final, que perderia para a Alemanha. A segunda bola na trave veio em 2011, quando as brasileiras acabaram eliminadas nas penalidades máximas nas quartas-de-final. A sorte é que Marta tem com quem contar.

Será que chegou a hora?

Ah, a transmissão é da Sportv.

LEIA TAMBÉM

- Prazer, também sou da seleção. O futebol feminino para além do talento de Marta

- Deu ruim. Neymar tem um adversário novo: a Justiça espanhola

- Maquiagem e shorts curtos ajudam futebol feminino a crescer, diz diretor da CBF

- Blatter pode voltar atrás e não deixar a presidência da Fifa se 'candidato convincente' não aparecer

- CPI do Futebol escala Zezé Perrella, Magno Malta, Ciro Nogueira e internet reage

- Um ano depois: 7 motivos para sentir saudade da Copa do Mundo