NOTÍCIAS
19/06/2015 09:51 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Hoje abatido e sob risco de punição, Neymar foi flagrado xingando o colombiano Zúñiga em derrota no Chile (VÍDEO)

A última edição da Copa do Mundo está completando um ano, mas parece longe de acabar para Neymar e o colombiano Zúñiga, responsável por tirar o astro brasileiro da competição. O novo capítulo da rivalidade entre os dois foi flagrado pelo Canal +, da Espanha, que captou lances quentes entre os jogadores no duelo de quarta-feira pela Copa América, que foi vencido pela seleção da Colômbia por 1 a 0 e teve mão no rosto, empurrões e ofensas ao defensor.

Irritado com a força excessiva de Zúñiga na marcação, Neymar perdeu a cabeça em certos momentos. Num deles perdeu a compostura: "Camilo!, Camilo! (primeiro nome de Zúñiga), depois você me liga pedindo desculpas. Seu filho da p..., filho da p...", criticou o brasileiro.

Neymar acabou ofendendo o defensor e, ao mesmo tempo, ironizando uma ligação telefônica após a Copa do Mundo, na qual Zúñiga garantia não ter usado da maldade no lance em que acertou uma joelhada nas costas no camisa 10, fraturando a terceira vértebra.

Os jogadores já haviam se reencontrado num amistoso entre as seleções em Miami, no ano passado. Na ocasião, Zúñiga tomou a iniciativa e deu um abraço em Neymar. Já na Copa América, a harmonia do jogo passado acabou ficando de lado e, por vezes, as divididas foram quentes. E, para Neymar, não apenas com Zúñiga, já que se desentendeu com Murilo e Bacca também.

Neymar se irrita com processo na Espanha

Neymar brincou menos do que de costume na última quinta-feira. Na maior parte do tempo, ficou imerso nos fones de ouvido. Mas nem o pagode o fez sorrir. O dia seguinte após perder para a Colômbia, xingar os rivais e ser expulso por chutar a bola no colombiano Armero foi de silêncio, reclusão, sim, tristeza. Neymar está passando por um momento difícil, dizem os amigos.

O jogador preferiu ficar a maior parte do tempo no quarto da concentração em Santiago e só apareceu nas refeições e para treinar no período da tarde. O camisa 10 fez um trabalho na academia e outro com o massagista Sérgio Oliveira. "Ele é calmo, sossegado, não gosta muito de falar sobre problemas", disse um funcionário da delegação brasileira. "Quando ele está mal, fica na dele".

Neymar é uma espécie de termômetro do humor do grupo. Um ex-companheiro do Santos disse uma vez que a liderança técnica dele acaba influenciando os outros ambientes. Portanto, foi um dia de silêncio geral. Todos os jogadores evitaram brincadeiras e falaram poucos durante a atividade do preparador físico Fábio Mahseredjian.

Não bastasse o processo em andamento na Justiça espanhola, há outra polêmica: o grupo DIS se queixou na Audiência Nacional da Espanha. Os investidores alegam que tinham 40% dos direitos econômicos de Neymar, quando o craque se transferiu para o Barça, e foram jogados para escanteio. O DIS alega que havia recebido R$ 20,8 milhões dos R$ 59 milhões que o clube espanhol pagou ao Santos. Mas, como o clube espanhol reconheceu mais tarde que o valor real da negociação foi de R$ 299,5 milhões, o DIS teria direito a R$ 121,6 milhões e não apenas R$ 20,8 milhões.

Os investidores garantem que houve encenação por parte do estafe de Neymar e daí a queixa na Justiça da Espanha, que deve intimar o pai, a mãe e empresários ligados ao craque para depor em Barcelona.

CBF pedirá absolvição de Neymar por expulsão

A CBF vai pedir nesta sexta-feira ao Tribunal Disciplinar da Conmebol a absolvição do atacante Neymar por sua expulsão depois do jogo entre Brasil e Colômbia, na quarta-feira. O craque já não irá enfrentar a Venezuela no domingo (21) por estar suspenso pelo acúmulo de dois cartões amarelos e o departamento jurídico da entidade considera que essa pena já está de bom tamanho. A decisão do tribunal será tomada na tarde desta sexta-feira.

"Entendemos que, por ele ser primário, a suspensão por uma partida (pelo acúmulo de cartões) já é mais do que suficiente", disse ao Estado o diretor jurídico da CBF, Carlos Eugênio Lopes. "E ele é alvo de violência, provocações. Isso desestabiliza." Alegar que Neymar foi vítima de provocação, por parte dos jogadores colombianos e até da arbitragem, é a estratégia de defesa.

Além disso, a CBF vai dizer, no e-mail que enviará ao Tribunal Disciplinar da Conmebol até o meio-dia desta sexta-feira, que o craque não ouviu o apito do juiz Enrique Osses finalizando a partida entre Brasil e Colômbia e, pensando que a bola ainda estava em jogo, chutou-a em direção ao gol e atingiu Armero. Isso porque, na súmula, Osses relata que Neymar foi o pivô da confusão quando o jogo acabou ao chutar a bola em Armero, e depois dar uma cabeçada no zagueiro Murillo, que tomou as dores do companheiro. Em seguida, o brasileiro foi empurrado pelo atacante Bacca, também expulso.

O diretor jurídico da CBF vai argumentar também em seu pedido de absolvição pela expulsão que Neymar foi provocado até pelo auxiliar Carlos Astroza, situação testemunhada por integrantes da comissão técnica da seleção. "Ele foi provocado até pelo bandeirinha, que o chamou de 'piscinero' várias vezes e falava para ele jogar futebol", disse.

O Tribunal Disciplinar é composto por cinco membros. Deles, dois não podem participar da sessão: o presidente, o brasileiro Caio César Rocha, e o colombiano Orlando Morales. O destino de Neymar será definido pelo uruguaio Adrián Leiza, o chileno Carlos Tapia e o boliviano Francisco Lozada. Se a decisão do tribunal não agradar, a CBF poderá recorrer à Câmara de Apelações, que terá de dar uma posição até a véspera da partida de quartas de final.

LEIA TAMBÉM

- Meninas do Brasil vencem Costa Rica sem Marta, mantêm 100% e pegam a Austrália nas oitavas da Copa do Mundo

- Deu ruim. Neymar tem um adversário novo: a Justiça espanhola

- Maquiagem e shorts curtos ajudam futebol feminino a crescer, diz diretor da CBF

- Blatter pode voltar atrás e não deixar a presidência da Fifa se 'candidato convincente' não aparecer

- CPI do Futebol escala Zezé Perrella, Magno Malta, Ciro Nogueira e internet reage

- Um ano depois: 7 motivos para sentir saudade da Copa do Mundo