NOTÍCIAS
18/06/2015 11:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Na contramão, Hungria estuda construir muro de quatro metros para impedir entrada de imigrantes no país

AP

O governo da Hungria está considerando construir um muro de 4 metros de altura ao longo da fronteira com a Sérvia para impedir o fluxo de imigrantes que está chegando ao país, informou o ministro de Relações Exteriores húngaro, Peter Szijjarto.

Szijjarto disse que o ministro do Interior, Sandor Pinter, irá preparar apresentações do plano na próxima quarta-feira (24).

"O governo húngaro está comprometido em defender a Hungria e o povo húngaro da pressão imigratória", afirmou Szijjarto. "A Hungria não pode esperar mais. Naturalmente, nós queremos que uma solução seja articulada com a Europa."

Szijjarto disse que o muro, que terá extensão de 175 quilômetros na fronteira sul com a Sérvia, não fere nenhuma convenção internacional de direitos. "Nós teremos um encontro dia 1º de julho quando informaremos, em detalhe, as medidas aos nossos amigos sérvios", afirmou.

Por sua vez, o ministro do Interior da Sérvia, Nebojsa Stefanovic, pediu o apoio da União Europeia para ajudar a monitorar suas fronteiras em relação à imigração.

"Eu estou conversando com todos os Estados-membros da União Europeia para fazermos esforços adicionais para proteção das fronteiras da Sérvia, porque os imigrantes estão entrando no continente por meio da Grécia e da Bulgária, que fazem fronteira com a Sérvia", disse.

Na contramão

O país opta por não atender o apelo feito nesta quarta-feira (17) pelo Papa Francisco, que pediu para que os países "não fechem as portas para aqueles que estão em busca de uma vida melhor."

Por outro lado, a fala do pontífice mobilizou as autoridades francesas, que no mesmo dia anunciaram a criação de 11 mil novas vagas em centros para imigrantes e habitação para refugiados.

LEIA TAMBÉM:

- Saiba como o Brasil, uma nação de imigrantes, ganhará ao acolher haitianos

- Crise humanitária: Indonésia e Malásia vão recolher refugiados à deriva

- ASSISTA: Tailândia recusa entrada de imigrantes e barco fica à deriva

- Neste hotel, em Viena, todos os funcionários são refugiados