NOTÍCIAS
17/06/2015 15:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Papa faz apelo por imigrantes: 'Não fechem as portas para aqueles que buscam uma vida melhor'

Montagem/Reuters

O papa Francisco fez nesta quarta-feira (17) um apelo em relação as crises de imigração que ocorrem ao redor do mundo.

"Não fechem as portas para aqueles que estão em busca de uma vida melhor."

As declarações do pontífice foram feitas ocorreram durante sua audiência geral semanal, nesta quarta. Ele agradeceu as pessoas que estão ajudando os refugiados e incitou os governos a agir em conjunto para prevenir a imigração forçada.

"Eu convido todos vocês a pedir perdão pelas pessoas que fecham as portas para os que estão em busca de uma vida melhor, de uma família, para serem bem tratados", disse.

Na Itália, dezenas de imigrantes estão acampados na fronteira com a França, que não permite sua entrada. No entanto, nesta quarta a França anunciou a criação de 11 mil novas vagas em centros para imigrantes e habitação para refugiados.

O processo, anunciado pelo ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, vai consistir em abrir mais 4.000 vagas em centros para imigrantes até o ano que vem e outras 5.500 vagas para abrigar refugiados que receberam status legal no país.

Além disso, 1.500 novos centros emergenciais para imigrantes serão criados como uma solução temporária para abrigar imigrantes ilegais - especialmente em Paris e Calais, cidade localizada no Canal Inglês aonde muitos imigrantes tentam cruzar a fronteira para o Reino Unido.

O governo francês também planeja uma força-tarefa policial com o objetivo de desmembrar as redes de tráfico de pessoas e fortalecer o controle da polícia em "áreas estratégicas", como o porto de Calais, estações de trem e algumas estradas.

No ano passado, 64.800 imigrantes pediram asilo na França e 20 mil pessoas garantiram o status legal de refugiado. Atualmente, o país conta com 25 mil camas em centros para imigrantes.

Ainda no âmbito europeu, a Hungria alertou que talvez erga uma cerca para impedir a vinda de imigrantes.

A Austrália foi acusada de pagar para traficantes de embarcações para não entrar no país e levar imigrantes de volta para a Indonésia.