ENTRETENIMENTO
17/06/2015 17:45 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Atrizes de 'Orange Is the New Black' se irritam com perguntas machistas de Rafael Cortez, do 'CQC' (VÍDEO)

O humorista Rafael Cortez, do CQC, passou por um baita constrangimento ao entrevistar as atrizes da série Orange Is the New Black.

Na conversa com Uzo Aduba, Natasha Lyonne e Samira Wiley, que interpretam as personagens Suzanne "Crazy Eyes" Warren, Nicky Nichols e Poussey Washington, ele fez várias perguntas beeeem machistas. Você pode assistir à entrevista, que foi ao ar na última segunda-feira (16), no vídeo acima.

Na primeira entrevista, com Aduba, ele diz que gostaria de ficar junto dela "o tempo todo", por achá-la "muito linda".

Depois, pergunta se, no presídio feminino em que a série acontece, não faz falta às mulheres um homem forte para fazer "coisas que apenas homens podem fazer". A atriz responde que há um personagem masculino na prisão. Cortez, pergunta, então, se a atriz gostaria de tocar nos músculos dele.

Na segunda entrevista, com Lyonne e Wiley, ele elogia a beleza das duas várias vezes. As atrizes demonstram desconforto com todos os elogios. A coisa piora quando começam as perguntas.

Cortez questiona as atrizes se, quando o extenso elenco feminino da série está "naqueles dias", fica difícil de elas trabalharem por estar bravas.

Sem entender, Lyonne pergunta, incomodada: "O que você quer dizer?", já que a expressão "naqueles dias", como metáfora para menstruação, não existe em inglês.

Wiley, gentilmente, responde que há estereótipos sobre o comportamento das mulheres, que elas podem ser "agressivas" (na legenda do vídeo, a palavra foi trocada por "fofas"), mas isso não acontece no set da série.

Lyonne, ágil, responde: "Talvez, acidentalmente, ela [sua pergunta] tenha sido um pouco misógina. (...) Mesmo havendo bastante beleza na série, todas [as atrizes] são profissionais, talentosas e bem capazes. (...) Não acho que estão pensando em algo tão insignificante quanto a própria beleza quando estamos trabalhando".

A atriz chega a desviar seu olhar de Cortez.

Nas legendas, mais uma vez há troca de palavras. "Um pouco misógina" virou "meio estranha".

Vale notar também que, no letreiro feito para Wiley, que é negra, está escrito "Para nossa alegria" embaixo do nome dela.

Sério, o que Cortez e CQC têm na cabeça? Nem sempre um apresentador de TV prepara as perguntas que faz, mas será que ele e a equipe estavam completamente desinformados sobre o fato de que Orange Is the New Black lida com temáticas feministas e LGBT e seu público se engaja nessas causas?

Isso sem falar na suavização do que as atrizes disseram nas legendas.

Que deslize.

Caso o vídeo acima saia do YouTube, você pode vê-lo aqui, no site oficial da Band.

LEIA TAMBÉM:

- Em brincadeira, revista 'Cosmopolitan' faz perguntas machistas a Mark Ruffalo em vez de Scarlett Johansson

- Maggie Gyllenhaal: 'Disseram que sou velha demais para ser par de um homem de 55 anos'

- Amy Schumer, Patricia Arquette, Tina Fey e Julia Louis-Dreyfus zombam de machismo da mídia