NOTÍCIAS
01/06/2015 09:39 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:19 -02

Comissão deve entregar análise de impeachment do prefeito Fernando Haddad após o feriado

Reprodução/Facebook

A comissão especial formada na Câmara Municipal deve entregar entre o fim desta semana e o início da próxima a sua análise sobre o pedido de impeachment do prefeito Fernando Haddad (PT). Na semana passada, os vereadores Paulo Frange (PTB) e Marcos Belizário (PV) foram indicados à presidência e relatoria da comissão, respectivamente.

O colegiado, que reúne um total de sete vereadores, vai avaliar o pedido feito no início do mês passado pelo deputado federal Major Olímpio (PDT-SP). O parlamentar, que integra a chamada ‘Bancada da Bala’ na Câmara dos Deputados, embasou o pedido após uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo, na qual assessores do prefeito teriam negociado com traficantes na Cracolândia.

Para Olímpio, o petista feriu a Constituição Federal e o Código Penal e deve responder por crimes de responsabilidade e improbidade administrativa.

MAJOR OLIMPIO PROTOCOLOU HOJE NA CÂMARA MUNICIPAL, O PEDIDO DE IMPEACHMENT DO PREFEITO FERNANDO HADDAD, E NO MINISTÉRIO...

Posted by Major Olimpio on Sexta, 8 de maio de 2015


Segundo Paulo Frange, a comissão especial deve apresentar em até dez dias um parecer sobre o pedido de impeachment. Entretanto, de acordo com ele, “nada impede que nenhum dos vereadores dessa comissão apresente outro relatório também e aí ele será apreciado”. Para o processo avançar, ele então deve ter a aprovação de 3/5 dos vereadores (33 de um total de 55 parlamentares).

“A seguir, é escolhida por sorteio uma comissão processante. Dentro de 90 dias, essa comissão poderá ouvir, buscar documentos ou fazer perícia. Após esse período, ocorre a votação pela cassação e, para a aprovação, é necessário que dois terços dos vereadores votem a favor”, completou Frange, que no último fim de semana participou da agenda de Haddad na capital.

VER. PAULO FRANGE ESTEVE COM O PREFEITO HADDAD neste sábado, dia 30/maio/2015, na visita que fez ao bairro de Taipas,...

Posted by Vereador Paulo Frange on Sábado, 30 de maio de 2015


Uma comissão processante teria um prazo de 90 dias para realizar as suas apurações e então levar ao plenário da Câmara um relatório final, pedindo ou não a cassação de Haddad. Sobre o tema, a Prefeitura de São Paulo informou que o petista não irá se pronunciar.

Antes de Haddad, apenas quatro prefeitos foram alvos de pedidos de impeachment na capital paulista: Celso Pitta (8), Marta Suplicy (7), Paulo Maluf (2) e José Serra (1). Em nenhum dos casos as análises levaram a uma cassação do mandato.

LEIA TAMBÉM

- Haddad critica manifestação do MPL em frente a sua casa

- Haddad alfineta Marta Suplicy e diz que ‘hora do debate' para comandar a Prefeitura de SP vai chegar

- FOTOS: Protesto por transporte público em SP interrompe aula de Haddad

- O acerto e o erro da ação do MPE que paralisou as obras das ciclovias de São Paulo