NOTÍCIAS
28/05/2015 16:50 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

'Estamos no futebol porque gostamos', diz Blatter em abertura de congresso da Fifa

Reuters

Joseph Blatter falou pela primeira vez sobre o escândalo de corrupção na Fifa nesta quinta-feira (28). E não foi numa coletiva aberta a perguntas de jornalistas. O presidente da entidade acusada de elaborar um esquema de propina na ordem de US$ 200 milhões discursou durante a abertura do congresso da Fifa.

Blatter afirmou que os acusados, entre eles, o ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) José Maria Marin, são uma "minoria" e que as ações deles "trouxeram humilhação para o futebol e exigem ações imediatas''.

Ele disse ainda que a eleição para a presidência da Fifa, marcada para esta sexta-feira (29), é uma "oportunidade de reconstruir um novo caminho". Só tem um detalhe: Blatter é candidato à reeleição e tudo indica que ele vai entrar no quinto mandato.

''Amanhã, neste congresso, temos a oportunidade de reconstruir e caminha por esse novo caminho. Agora, precisamos ganhar novamente essa confiança e ganharemos através dessas decisões que vamos tomar''.

Blatter também aproveitou o discurso para se eximir de culpa no escândalo de corrupção. "Eu sei que muitas pessoas me consideram como responsável pelos problemas e pela reputação da comunidade global do futebol. Mas não podemos monitorar todos o tempo inteiro", disse Blatter.

O presidente da entidade afirmou reconheceu que este é um momento "muito difícil" para a Fifa. "O que aconteceu ontem causou uma sombra sobre o futebol e sobre esse congresso. Ações de certos indivíduos trouxeram humilhação e vergonha ao futebol. É preciso ações imediatas. Não podemos deixar que a reputação da Fifa seja levada a lama. Isso precisa acabar agora".

Para finalizar, Blatter convidou todos os presentes a aproveitarem o show e refletir sobre como a maioria dos membros da Fifa estão no futebol por amor ao esporte.

''Vocês viram a cerimônia de abertura, sobre espírito de futebol que é adorada por todos. Nossos dançarinos trouxeram o espírito que deu vida ao futebol. É importante que não perdemos de vista o espírito do futebol. Que devemos lutar pelo espírito do futebol e sua manutenção. Aproveitem o show e reflitam sobre o fato de que nós, a maioria, estamos no futebol porque gostamos''

LEIA MAIS:

A ditadura do futebol

Romário emplaca CPI do Futebol e ataca Marin: "ladrão"

'Vejo com muita satisfação', diz filho de Vladmir Herzog sobre prisão de Marin