NOTÍCIAS
22/05/2015 11:48 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Em visita ao Brasil, diretora do FMI diz que indisciplina fiscal do governo pune os mais pobres

EVARISTO SA via Getty Images
Brazilian President Dilma Rousseff (R) meets with International Monetary Fund Managing Director Christine Lagarde (L) in Planalto Palace in Brasilia, on May 21, 2015. AFP PHOTO/EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

Antes de transmitir a expectativa do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o ajuste financeiro do País, a diretora-gerente Christine Lagarde afirmou que "são os pobres que mais sofrem" com o descontrole de gastos no governo. Após percorrer, de teleférico, o conjunto de favelas do Alemão, no Rio, e de ouvir relatos de beneficiárias de programas sociais, a executiva não hesitou em dar seu recado:

"A disciplina fiscal é a base para financiar os programas. Os dois andam juntos. As pessoas que mais sofrem com a indisciplina, no fim das contas, são os mais pobres".

Além do endereço certo, o alerta veio na véspera da confirmação de cortes orçamentários que não pouparão programas sociais. Mesmo assim, a executiva não poupou elogios ao Bolsa Família e a outros projetos que integram o programa Brasil Sem Miséria, vitrine da gestão da presidente Dilma. "Já tinha ouvido falar dos programas, mas tem outros projetos de base que dão sustentabilidade", disse, destacando a abordagem "multidimensional" de diferentes esferas de governo e o cadastro único dos beneficiários. "É um fato histórico reservar porcentual do PIB para os programas", disse.

Foi a própria Lagarde quem propôs conhecer de perto os projetos sociais avaliados em relatório do FMI, publicado no início do mês. A diretora, entretanto, nem chegou a sair das estações do teleférico que liga as diferentes favelas do Complexo do Alemão, que teve policiamento reforçado no entorno das estações visitadas.

A diretora percorreu por 15 minutos três estações e se disse "surpreendida" com o modelo de transporte: "Me senti em uma estação de esqui". Ela também ficou "impressionada" com a dimensão da favela e com a solidez das casas de alvenaria

No saguão da estação, a diretora do FMI foi recebida por beneficiários de programas sociais e assistiu a uma apresentação de capoeira.