NOTÍCIAS
22/05/2015 21:16 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Adolescentes japoneses estão viciados em vídeos de 'selfie de beijo'

Reprodução/VICE


Beijar na cozinha enquanto prepara omeletes. Beijar em encontros no parque. Beijar, deitado, na intimidade do quarto.

Essas são algumas das cenas vistas nos Kisu Douga — que podem ser traduzidos por "selfies de vídeos de beijos” — dentro do app de vídeos curtos MixChannel, uma versão japonesa do Vine. Quase 90% de seus 3,6 milhões de usuários são adolescentes.

Embora esses clipes sejam considerados “kawaii” — termo japonês para um tipo específico de fofice —, adultos japoneses consideram os clipes exibicionistas. Semana passada, a Fuji TV, o canal comercial mais popular do Japão, mostrou a história de um pai que assistiu a vídeos de sua filha beijando o namorado no quarto e teve uma reação dúbia: enquanto dizia “achei fofo” para a garota, ele ameaçou matar o namorado se continuasse a fazer aquilo debaixo de seu teto.

O Twitter no Japão entrou em alvoroço com o episódio. Os piores comentários, vindos de usuários anônimos, mostravam repulsa. O acontecimento também deu origem a uma enquete no fórum online Girls Channel, e a maioria concordou que a prática fica “nojenta e esquisita depois do término”.

Para Fukafuka, de 19 anos, uma usuária pioneira do MixChannel, os comentários negativos são parte “inevitável” de subir conteúdo nas redes sociais. Ela postou a primeira selfie em vídeo com seu namorado de 25 anos em novembro de 2014.

“Nunca me passou pela cabeça terminar, foi natural pra gente postar os vídeos”, Fukafuka falou para a Motherboard. “Se não fosse com ele, eu teria considerado melhor as consequências de postar esse tipo de vídeo nas redes sociais. Assim que comecei a enviar os vídeos, já tinha confirmado que íamos morar juntos.”

[Continue lendo aqui]

LEIA MAIS:

- FOTOS: A comovente história dos gays no Exército dos EUA

- Spinning é o esporte oficial dos subúrbios da África do Sul