NOTÍCIAS
18/05/2015 21:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Quatro ex-deputados são os primeiros políticos a se tornarem réus na Lava Jato

Montagem/Câmara dos Deputados/Estadão Conteúdo

Quatro ex-deputados investigados na Operação Lava Jato viraram réus. Luiz Argôlo, André Vargas, Aline Corrêa e o pai dela, Pedro Corrêa. Eles foram denunciados pelo Ministério Público Federal na quinta-feira (14) e a Justiça Federal decidiu abrir o processo.

Junto com eles, outros nove, incluindo o doleiro Alberto Youssef, também se tornaram réus na mesma ação.

Eles foram denunciados por crime de lavagem de dinheiro, peculato, organização criminosa e corrupção. No dia em que a denúncia foi feira, o procurador da República Deltan Dallagnol ressaltou que estava entrando pela primeira vez no núcleo político.

Segundo ele, Vargas recebia e repassava dinheiro de contratos de publicidade firmados com a Caixa Econômica Federal e o Ministério da Saúde a empresas que não prestavam os serviços. O total do dinheiro repassado pelo ex-deputado chega a R$ 1,1 milhão.

Já Pedro e Aline Corrêa usavam funcionários fantasmas para movimentar o dinheiro da corrupção. Apenas Pedro Corrêa seria responsável por desviar R$ 729 mil.

Já Argôlo tinha uma relação muito próxima com o doleiro Alberto Youssef. O ex-deputado e seus associados teriam movimentado R$ 1,6 milhão.

Pedro Corrêa, Argôlo e Vargas foram presos no início de abril na na 11ª fase da Operação Lava Jato.

(Com informações da Agência Brasil)