NOTÍCIAS
15/05/2015 13:22 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Bancos privados aumentam juros para financiamento imobiliário

Agf

Em meio à escassez de recursos disponíveis na poupança, principal fonte para o financiamento imobiliário, os bancos privados começaram a cobrar juros mais elevados e ampliaram as exigências para a aprovação de empréstimos na área de habitação.

Acompanhando a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander reajustaram as tabelas do crédito imobiliário no início deste ano em relação ao que era cobrado anteriormente, segundo reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira.

O Itaú diminuiu o porcentual máximo de financiamento de 80% para 70%. O banco, contudo, não divulgou o valor das taxas, mas corretores de crédito imobiliário afirmam que a instituição aumentou os juros.

O Bradesco, por sua vez, elevou a chamada taxa de balcão para a concessão de empréstimos para a casa própria, de 9,6% para 9,8%. E O Santander aumentou os juros de 9,6% para 10,1%. O cálculo ainda soma a Taxa Referencial e só é liberado para imóveis de até 750.000 reais.

Antes dos bancos privados, a Caixa já havia elevado os juros para o crédito imobiliário de 9,15% para 9,45%. E Banco do Brasil, de 9,9% para 10,4%.

Uma das razões apontadas pelas instituições para reajustar os juros da habitação foi a elevação da taxa básica de juros (Selic), de 12,75% para 13,25%.