NOTÍCIAS
07/05/2015 21:10 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Líder do PMDB orienta bancada contra proposta e acaba votando a favor

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Sabe aquela máxima ‘faça o que eu digo, não faça o que eu faço’?

Então... Ela define um momento uma atitude inusitada do líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ).

Enquanto os deputados analisaram os destaques da medida provisória do Seguro-Desemprego, parte do ajuste fiscal, o deputado orientou os demais peemedebistas a votarem contra uma emenda aglutinava da proposta. Na hora, o deputado, entretanto, votou a favor do texto.

Entre os 11 infiéis que não seguiram a orientação do líder, estava ele próprio. Ao perceber o que havia feito, o deputado pediu a Mesa a correção do voto.

“Por um engano votei contra a minha própria orientação. Era para ser não, marquei sim por engano. Solicito a mesa correção.”

Correligionário de Picciani, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), minimizou: “isso acontece”.

Os deputados concluíram nesta quinta-feira (7) a votação da medida do pacote do ajuste fiscal. A proposta muda a quantidade de meses de meses trabalhados para que o cidadão tenha direito ao Seguro-Desemprego. De acordo com texto aprovado, o trabalhador deverá comprovar o recebimento de nove salários nos 12 meses anteriores para ter direito ao benefício.