NOTÍCIAS
24/04/2015 14:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

PT quer investigação do Ministério Público e CPI para investigar pagamentos feitos pelo governo Alckmin a blogueiro

Montagem/Facebook e Twitter

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou nota, na manhã desta sexta-feira (24), em que afirma que irá representar junto ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP) para que sejam investigadas as suspeitas de uso de dinheiro público para financiar ataques ao partido na internet.

A ação envolve a polêmica em torno do advogado e blogueiro Fernando Gouveia, conhecido na rede como Gravataí Merengue, do site Implicante, o qual recebe há dois anos pagamentos mensais por serviços de comunicação prestados ao governo de São Paulo, dirigido por Geraldo Alckmin (PSDB). A informação foi revelada pela Folha de S.Paulo no último dia 18.

“Além de ataques contra o PT, o blog é especializado em espalhar conteúdos contrários ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à presidente Dilma Rousseff. Os fatos envolvendo a subcontratação e o desrespeito ao objetivo do contrato original apontam indícios de desvios de recursos públicos, que podem, em tese, tipificar prática de crime contra a administração pública e ato de improbidade administrativa”, diz trecho da nota, assinada pelo presidente do diretório estadual do partido, Emídio de Souza.

“O PT-SP solicita que o MP Estadual adote as medidas cabíveis, a fim de apurar com rigor os fatos e responsabilizar os seus autores, e, desta forma, impedir a continuidade das condutas ilícitas que prejudicam diretamente os cofres públicos”, conclui o comunicado.

No site Implicante, Gouveia faz propaganda antipetista para milhares de seguidores. De acordo com a Folha, ele é dono da Appendix Consultoria, criada em janeiro de 2013, na mesma época em que começou a receber verba pública. De outubro até março deste ano, o blogueiro recebeu R$ 70 mil por mês.

No Facebook, Gouveia se defendeu.

ALERTA MÁXIMO DE TEXTÃOatualização: https://www.facebook.com/gravataimerengue/posts/851314948273890Caros, não é de...

Posted by Fernando Gouveia on Sábado, 18 de abril de 2015


Além da investigação por parte do MP-SP, o PT está colhendo assinaturas na Assembleia Legislativa (Alesp) para pedir a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso. Um pedido de explicações ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) já foi feito via requerimento pela bancada petista no Legislativo estadual.

À Folha, Alckmin elogiou os serviços prestados pela empresa de Gouveia – a qual tem como sócia a jornalista Cristina Ikonomidis, que foi chefe de comunicação da Secretaria de Cultura do governo tucano de 2011 a 2013.

Na mesma ocasião, o secretário da Casa Civil Edson Aparecido afirmou que “não há nenhuma relação do governo com o fornecedor final”, apesar de documentos aos quais o jornal teve acesso mostrarem que a Appendix Consultoria presta contas diretamente à Subsecretaria de Comunicação, que é quem verifica as informações e autoriza os pagamentos.

LEIA TAMBÉM

- Saldo milionário da Lava Jato pode levar ao fim do PT, diz jornal

- Sócia de blogueiro contra PT chefiou Comunicação da Secretaria de Cultura do governo de Geraldo Alckmin

- Denunciado pelo MP, ex-presidente de comissão da CPTM nega cartel de trens