COMPORTAMENTO
23/04/2015 21:41 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:54 -02

Barbas volumosas podem ser criadouros de bactérias

iStock

A barba voltou com tudo. Pode ser na cara de um lumbersexual, hipster, comunista ou mendigo. O fato é que cada vez mais homens adotaram o estilo de longos pelos faciais.

Até mesmo famosos como Leonardo di Caprio e Robert Pattison apareceram em público ostentando pelos volumosos em torno do queixo, porém, esse estilo peludo pode ser um causador de doenças.

di caprio barba

A pesquisadora Carol Walker, do Centro de Tricologia de Birmingham - especializado no estudo de pelos corporais - contou em entrevista ao Daily Mail que barbas volumosas podem levar a infecções de pele mais frequentes e a transmissão de germes para outras pessoas.

Ela explicou que os pelos da barba tem um formato de baioneta, com a base circular e convexa e vão afinando na ponta, tendem a ser mais crespos e macios, com mais curvas e dobras que seguram a sujeira. "As cutículas no cabelo - que são como camadas de telhas - prendem os germes e a gordura", afirmou.

Para Walker, os cabelos em torno da boca e narinas estão localizados em locais que normalmente já têm mais bactérias, e se, por exemplo, o barbado como derivados de leite, os restos podem grudar na barba e se tornar rançosos, contribuindo para a proliferação de micróbios.

"Algumas pessoas desenvolvem infecções na pele, causadas pela descamação ou por dermatites que aparecem por conta das bactérias", explicou Walker. A barba ainda pode acumular as secreções de pessoas resfriadas ou com coriza.

Segundo Walker, os pelos do rosto ainda podem ser o meio de transmissão de bactérias entre pessoas. Essa hipótese foi confirmada por Ron Cutler, doutor pela Universidade de Londres.

Por isso, homens barbados deveriam se preocupar mais com a higiene facial e prestar atenção se a pele não está irritada debaixo dos pelos.

O professor Anthony Hilton, chefe de Ciências Biológicas e Biomédicas na Universidade de Aston, disse que pesquisas confirmam que a barba pode espalhar bactérias. "Homens com barba tem um número de bactérias significativamente maior que homens sem barba e mulheres", explicou.

Apesar de todos esses indícios sobre a estreita relação relação entre bactérias e pelos faciais, não precisa se alarmar tanto. Micróbios existem em todas as partes do corpo e normalmente são transmitidos nas relações humanas, como abraços, beijos e o sexo.

"É comum encontrar 20 mil bactéria sobre a pele, e isso não é um perigo para a saúde", afirmou Hilton.

LEIA MAIS:

- ASSISTA: Vídeo mostra a evolução da barba e bigode entre 1800 e 2010

- Estilo Lula? Aécio Neves aparece com barba por fazer

- FOTOS: Se você quer inovar no Natal, use bolinhas como estas na barba