NOTÍCIAS
22/04/2015 21:34 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:53 -02

Derrota do trabalhador: Câmara amplia terceirização para todas as atividades

Gustavo Lima - Câmara dos Deputados

Nem mesmo a pressão popular, os manifestantes na porta da Câmara dos Deputados e os deputados com cópias gigantes de carteiras de trabalho adiantaram. A Câmara dos Deputados aprovou por 230 contra 203 votos uma emenda ao PL 4330/2004 que ampliou a terceirização para todas as atividades de uma empresa, inclusive as que são as especialidades dela.

De acordo com a proposta, uma escola, por exemplo, pode contratar uma empresa para “fornecer" professores. Este dispositivo foi duramente criticado ao longo das duas últimas semanas. Centrais sindicais e partidos políticos, como o PSol, PCdoB e o PT, fizeram campanha contra a medida.

No início da noite desta quarta-feira (22), o líder do governo, José Guimarães (PT-CE), ainda se esforçava para tentar uma acordo de última hora. Antes de jogar a toalha, ele disse que ele tinha esperança que na hora do voto alguma coisa mudasse.

“Como não tem acordo vai tudo para voto. Evidentemente é uma questão que vai para o Senado, passível de veto, não tem acordo, mas o projeto ainda pode voltar para a Câmara. Não é o fim”, desabafou.

Guimarães disse ainda que esperava que o bom senso prevalecesse. “Uma matéria dessa dimensão, que diz respeito ao funcionamento da economia do País para os próximos anos, mexe com a vida das pessoas, onde está em jogo o capital e o trabalho, não pode tender só para um lado. Não pode pejotizar tudo, porque os direitos”, argumentou.

Enquanto o projeto estava em votação, deputados a favor da matéria diziam que os colegas não podiam votar de olho nas próximas eleições, mas que deviam pensar no futuro da economia do País.

Após a votação da emenda que permitiu a ampliação da terceirização, alguns deputados lamentaram no Twitter:

Mas também teve quem comemorou: