NOTÍCIAS
20/04/2015 10:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Com reajuste, professores de SP ganham menos que outros servidores; Para governo, remunerações são 'similares'

Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Em greve há quase 40 dias, os professores do Estado de São Paulo reivindicam aumento salarial de 75%. Desde 2012, o salário da categoria subiu 28% - índice acima da inflação, que foi de 16%, segundo o IPC-Fipe, e de 19%, segundo o IPCA. As informações foram levantadas pela Folha de S.Paulo e divulgadas nesta segunda-feira.

Apesar disso, os docentes ainda recebem menos que outros profissionais do Estado com ensino superior. A remuneração média dos professores é de R$ 2.725. Se for considerado apenas aqueles dos anos finais do fundamental e ensino médio, com jornada de 40 horas semanais, a remuneração sobe para R$ 4.416.

Veja abaixo a remuneração de profissionais de outras carreiras do governo do Estado:

Agentes penitenciários (não precisa de ensino superior) - R$ 4.503

Enfermeiros - R$ 5.038

Sargentos da PM - R$ 5.692

Médicos - R$ 7.339

Ou seja, considerando a média salarial dos professores com jornada de 40 horas semanais, a categoria ganha pelo menos R$ 2.923 a menos que outros funcionários do Estado com formação superior.

Salário "similar"

Para o governo do Estado, a remuneração dos professores com jornada de 40 horas semanais é "similar" à outras categorias. A Secretaria da Educação considerou um 'erro' calcular a média salarial sem considerar as diferentes jornadas. A pasta, no entanto, não informa quantos docentes trabalham com cada jornada.

A pergunta que fica é: Quanto vale o professor?