NOTÍCIAS
13/04/2015 16:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Heterofobia? Jean Wyllys rebate acusação de Bolsonaro e diz que houve, 'no máximo, fascistofobia'

Montagem/Agência Câmara/Agência Brasil

Heterofobia?! Não. Para o deputado Jean Wyllys(PSol-RJ) o que ocorreu quando ele não quis se sentar ao lado do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) em um voo operado pela TAM foi, "no máximo, fascistofobia". "Uma fobia de fascista, de escroques", disse Wyllys ao iGay.

No último dia 7, Bolsonaro publicou um vídeo no Facebook e se disse alvo de "heterofobia". Nas imagens, ele diz a Jean que vai se sentar ao seu lado. O deputado do PSol simplesmente se levanta e sai, sem falar nada.

Wyllys disse que seguiu seu instinto de sobrevivência. "Não estou lidando com amador. Me preservei, saí do lado dele". Ele contou ainda que foi um espanto ver que a imprensa comprou a história da heterofobia sem fazer uma crítica.

"É o mesmo que esperar que um judeu sente ao lado de um nazista que participou da empresa de extermínio de judeu. É o mesmo que esperar que um negro sente ao lado de um racista contumaz que ataca as comunidades negras. As pessoas acham o quê? Se elas não são capazes de decência e coerência, eu sou. Eu não sentaria, não sentei e, se acontecer de novo, eu saio do avião."

iGay: "Não voaria e não voarei ao lado daquele senhor"

Na última semana, algumas pessoas pareciam sofrer de amnésia, inclusive parte da imprensa que comprou uma tese de "heterofobia" (sic) sem tecer qualquer crítica a esse tipo de falácia absurda. Eu tenho memória e, por isso, decidi relembrar alguns fatos neste vídeo, um trecho de uma entrevista exclusiva que vocês vão conferir em breve no iG igay: http://bit.ly/1NxnV5e "

Posted by Jean Wyllys on Segunda, 13 de abril de 2015

No vídeo, o deputado relembra que, entre outros, Bolsonaro já empurrou uma deputada no salão verde, já chamou uma senadora de vagabunda, já disse que não estupraria uma deputada porque ela não merece, além de já ter dado um soco em um senador.

"Ele estimula a violência contra os homossexuais e me insulta todas as vezes que encontra comigo, fez uma campanha de difamação contra mim e a deputada Erika Kokay (PT-DF)", emendou.

Jean Wyllys e Jair Bolsonaro defendem bandeiras opostas. Ex-militar, que exalta a ditadura, Bolsonaro defende uma pauta conservadora, homofóbica e machista. Já Wyllys tem um histórico de defesa dos direitos humanos e das minorias, como os homossexuais e as mulheres.