NOTÍCIAS
03/04/2015 11:16 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Copiloto aumentou a velocidade do avião da Germanwings enquanto ele descia, mostra segunda caixa-preta encontrada

Getty Images via Getty Images
FRANKFURT, GERMANY - SEPTEMBER 13: In this photo released today, co-pilot of Germanwings flight 4U9525 Andreas Lubitz participates in the Airport Hamburg 10-mile race on September 13, 2009 in Hamburg, Germany. Lubitz is suspected of having deliberately piloted Germanwings flight 4U 9525 into a mountain in southern France on March 24, 2015 and killing all 150 people on board, including himself, in the worst air disaster in Europe in recent history. (Photo by Getty Images)

Investigadores franceses afirmaram nesta sexta-feira (3) que a segunda caixa-preta recuperada no local da queda do avião da Germanwings indica que o copiloto da aeronave a derrubou deliberadamente.

Os dados de voo registrados no equipamento encontrado na quinta-feira (2) parecem corroborar evidências da gravação na cabine da aeronave recuperada da primeira caixa-preta, horas após o acidente em 24 de março.

"Uma primeira leitura mostra que o piloto na cabine usou o piloto automático para colocar a aeronave em uma descida em direção a uma altitude de 100 pés", disse o Escritório de Investigação e Análise para a Segurança da Aviação Civil da França (BEA, na sigla em francês), em comunicado.

"Depois, o piloto modificou diversas vezes as configurações do piloto automático para aumentar a velocidade do avião, enquanto o mesmo descia", acrescentou.

Procuradores têm afirmado que as gravações registradas na primeira caixa-preta sugerem que o copiloto Andreas Lubitz, de 27 anos, se trancou na cabine do avião e direcionou a trajetória da aeronave em direção à queda nos Alpes franceses.

O gravador de dados do voo possuiu uma leitura detalhada de centenas de parâmetros, incluindo comandos feitos a partir do assento do copiloto do voo. O BEA afirmou que ainda está trabalhando para esclarecer os fatos envolvendo o voo que antecederam o acidente, que matou 150 pessoas.

Procuradores alemães disseram na quinta-feira que Lubitz fez buscas na Internet sobre formas de cometer suicídio dias antes do acidente, assim como pesquisas sobre portas de cabine e precauções de segurança.

LEIA TAMBÉM:

- #Germanwings: Pilotos do Brasil não possuem acompanhamento contínuo de saúde mental e vivem uma rotina de pressões

- Companhias aéreas no Brasil terão agora que manter dois tripulantes em cabine de comando em todas as fases do voo