NOTÍCIAS
02/04/2015 19:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Germanwings: Encontrada segunda caixa-preta de avião que caiu nos Alpes Franceses

Montagem / Agências

A segunda caixa-preta do avião da companhia aérea alemã Germanwings que caiu nos Alpes franceses no dia 24 de março foi encontrada nesta quinta-feira (2) pelas equipes de resgate, afirmaram fontes da investigação sobre a catástrofe.

A segunda caixa-preta contém o registro dos dados de voo do avião. As equipes de busca trabalham há dez dias no local da queda do avião. A tragédia matou todas as 150 pessoas que estavam a bordo da aeronave, que fazia o trajeto entre Barcelona, na Espanha, e Düsseldorf, Alemanha.

A caixa-preta se encontra agora no quartel-general de campanha localizado na cidade de Seyne-les-Alpes, próximo ao local da tragédia, e será entregue para as autoridades que investigam o caso. A segunda caixa-preta deverá completar os dados obtidos da primeira, encontrada no mesmo dia da queda do avião e que contém as gravações na cabine. O promotor público de Marselha, Brice Robin, que lidera a investigação na França, disse que "tudo indica" que a segunda caixa-preta do avião "'poderá ser analisada" apesar de estar bastante danificada.

Segundo o registro das gravações, o copiloto Andreas Lubitz se trancou na cabine de comando quando o comandante se ausentou para ir ao banheiro e teria derrubado o avião deliberadamente. A perícia técnica da segunda caixa-preta será feita pelo Escritório de Investigação e Análise da França (BEA). Desde o dia da tragédia, a busca da segunda caixa era uma das prioridades dos investigadores, mas a violência do choque, que caiu na montanha a mais de 700 km/h, a deixou escondida entre os destroços da fuselagem.

Pesquisas sobre suidídio

Promotores alemães disseram nesta quinta que acreditam que o copiloto Andreas Lubitz na última semana pesquisou em um computador por maneiras de cometer suicídio dias antes do acidente que matou 150 pessoas. Em nota, promotores de Duesseldorf disseram que o computador, que foi encontrado na casa do copiloto, também mostrava pesquisas sobre as portas da cabine e medidas de segurança relacionadas. As pesquisas na internet aconteceram entre 16 e 23 e março, um dia antes do acidente. "Em pelo menos um dia, ele pesquisou por diversos minutos sobre a cabine e as medidas de segurança", acrescentou a nota.