NOTÍCIAS
26/03/2015 13:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Em São Paulo, 30 mil garis estão em greve em 130 cidades; região do ABC é a mais afetada pela paralisação

Montagem/Estadão Conteúdo

A greve dos garischegou ao fim em Curitiba (PR) e no Rio de Janeiro, na quinta e sexta feira, respectivamente, após funcionários e autoridades entrarem em acordo.

Já em São Paulo...

130 municípios do estado, no entanto, entraram nesta quinta-feira (26) no quarto dia de paralisação da categoria. As cidades afetadas estão com as ruas cada vez mais ocupadas com lixo e o cenário é preocupante.

Segundo Federação de Trabalhadores em Serviços, Asseio e Conservação Ambiental, Urbana e Áreas Verdes do Estado de São Paulo (Femaco), cerca de 30 mil trabalhadores de coleta urbana de lixo estão em greve desde segunda-feira (23).

Algumas das cidades afetadas já estão tomando previdência para minimizar os efeitos da greve aos moradores. A Prefeitura de São Caetano do Sul, por exemplo, promoveu ligações telefônicas para alertar a população sobre a paralisação.

As cidades do ABC paulista sentem mais o efeito das interrupções no serviço, já que que 2 mil toneladas de lixo são retiradas por dia na região, segundo o Bom Dia Brasil.

De acordo com o sindicato, os grevistas têm respeitado a decisão do Tribunal Regional do Trabalho para que ao menos 70% dos trabalhadores continuassem em atividade. Caso não o fizessem, a Justiça havia determinado na última audiência, na terça-feira (24), pena de multa diária de R$ 10 mil reais.

A categoria pede aumento salarial de 11,73%, mas o Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana de São Paulo (Selur) oferece 7,68% de reajuste. O salário médio dos garis é R$ 900.

(Com informações Estadão Conteúdo)