NOTÍCIAS
23/03/2015 21:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Ultrassom mostra efeito nefasto de fumar durante a gravidez

Divulgação/Durham

Uma nova pesquisa sugere que o tabagismo durante a gravidez pode se refletir até mesmo nos movimentos do feto.

Pesquisadores da Durham University acompanharam 20 gestantes entre a 24ª e a 36ª semana de gravidez.

Quatro mães fumavam cerca de 14 cigarros por dia, e as outras não fumavam.

Por meio de exames de ultrassom, os autores do estudo descobriram que os fetos de mães fumantes tocavam muito mais nas próprias bocas que o normal.

Os pesquisadores acreditam que os movimentos exagerados são efeito do cigarro, que retarda o desenvolvimento do sistema nervoso central, responsável por controlar os movimentos.

Em geral, bebês vão deixando de realizar esse movimento conforme a gestação avança, adotando outros tipos de movimento mais complexos e variados conforme o sistema nervoso central vai se desenvolvendo. Porém, no caso dos bebês de mães fumantes isso demorou muito mais para acontecer.

"Os padrões de movimento facial dos fetos diferem significativamente entre fetos de mãos que fumam e mães não-fumantes", diz Nadja Reissland, do departamento de Psicologia da Durham University.

LEIA MAIS

- Os fumantes têm mais chances de sofrer de ansiedade e depressão (PESQUISA)

- Câncer de próstata: fumar após o diagnóstico pode matar mais do que o tumor!