NOTÍCIAS
20/03/2015 15:04 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Estudantes fraudam provas na Índia com ajuda dos pais e subornos

AP Photo

Imagens de estudantes indianos colando descaradamente nas provas que fazem ao final do curso à vista dos supervisores viralizaram na Internet, causando deboches no Twitter e expondo as falhas do muito criticado sistema educacional de um Estado pobre do leste do país.

Na quinta-feira, o jornal Hindustan Times publicou uma foto de dezenas de homens subindo o muro de um centro de provas no Estado de Bihar e pendurados nos parapeitos das janelas, onde faziam aviões de papel com as respostas dos testes e jogavam para dentro das salas de aula.

“Deveríamos atirar neles?”, indagou Prashant Kumar Shahi, ministro da Educação de Bihar, em uma coletiva de imprensa depois que redes de televisão exibiram a foto incriminadora e expuseram o escândalo.

“Em média, quatro ou cinco pessoas ajudam cada aluno a usar meios ilegais”, disse Shahi, acrescentando ser impossível deter a prática se os pais incentivarem seus filhos.

As provas realizadas pelo Comitê de Exames Escolares de Bihar (BSEB, na sigla em inglês) são vistas como testes que podem transformar as vidas de milhões de pobres.

As colas são comuns durante as provas padronizadas realizadas pelo Estado, e os monitores no local fazem vista grossa quando os alunos consultam os colegas por mensagens de WhatsApp e celular ou anotam respostas das notas atiradas para dentro das salas.

Mais de 1,4 milhão de estudantes estão fazendo as provas nesta semana, espremidos em 1.217 centros de exames em Bihar.

Os supervisores disputam os centros mais famosos, atraídos pela perspectiva de subornos de pais ansiosos pela aprovação dos filhos.

As fraudes vêm aumentando desde que o governo do Estado passou a oferecer recompensas de 10 mil rupias (US$ 160) para estudantes das castas mais baixas capazes de responder cerca de metade das perguntas de suas provas.

Neste ano, mais de mil alunos foram pegos colando em três dias e foram expulsos. As provas terminam no dia 24 de março.

O secretário do BSEB, Srinivas Chandra Tiwari, falou à Reuters sobre os planos de realizar encontros para conscientizar estudantes e pais e aconselhá-los a não usar meios ilegais nas provas.

Mas muitos pais culpam o governo e os professores pela incapacidade de Bihar de conter as fraudes. O governo do Estado foi acusado de contratar mais de 400 mil docentes sem verificar seu grau de proficiência. Nos dois últimos anos, mais de 12.500 deles foram reprovados em provas de competência, sendo incapazes de responder questões concebidas para alunos do quinto ano.