NOTÍCIAS
19/03/2015 08:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

Professor universitário lança projeto de captação de recursos para produzir vídeos sobre a obra do educador Paulo Freire

Montagem/Estadão Conteúdo e Twitter

O ataque ao filósofo e educador pernambucano Paulo Freire, protagonizado em uma faixa exibida durante os protestos do último domingo (15), revoltou uma série de internautas e mostrou o quão desconhecido ele é do grande público. Se você é um deles, uma boa sugestão é apoiar uma iniciativa muito educativa, capitaneada por um professor universitário do Paraná.

Docente da UEL (Universidade Estadual de Londrina), o jornalista e doutor em História André Azevedo da Fonseca lançou uma campanha independente no Catarse para arrecadar R$ 8 mil até a próxima segunda-feira (23). Com o dinheiro, ele quer produzir 30 vídeos, com duração entre três e cinco minutos, para abordar a vida e obra de Freire.

“Acho que vai dar. Tomara!”, disse Fonseca ao Brasil Post, quando questionado se acredita que alcançará o valor a tempo. No início da noite desta quarta-feira (18), ele já havia arrecadado pouco mais de 66% do total necessário. E sobre a polêmica em torno da faixa? O professor respondeu.

“A minha interpretação é que (os autores) são jovens que, evidentemente, jamais leram nada de Paulo Freire. Certamente eles foram influenciados por algum colunista que também nunca leu nada dele. O que estão fazendo é uma crítica, mas com um preconceito baseado na imaginação deles do que poderia ser Paulo Freire. Não tem sentido nenhum aquela manifestação”, analisou Fonseca.

Vídeo explicativo sobre do que se trata o projeto (YouTube)

Para quem não sabe, o pernambucano Paulo Freire foi um educador e filósofo brasileiro e que possui influência na educação não só no Brasil, mas em todo o mundo, tendo sido homenageado por instituições como Harvard, Cambridge e Oxford. Desde 2012, ele é considerado o Patrono da Educação Brasileira.

De acordo com o professor da UEL, a chamada ‘Pedagogia da autonomia’, mote do projeto conduzido por ele e que leva para o vídeo os conceitos do livro de mesmo nome de Freire, enfatiza um dos fundamentos pedagógicos de que o trabalho do educador é “fazer com que os alunos tenham mais possibilidade de participar ativamente do conhecimento em sala”, indo contra o modelo autoritário no qual só professor pode transmitir conteúdo. “O conceito dele é justamente contrário à doutrinação”, explicou Fonseca.

Mais do que esclarecer os autores da polêmica faixa e aqueles que a apoiaram, o projeto pode ajudar a trazer aos brasileiros tudo aquilo que estudantes de língua inglesa e hispânica já conhecem, e em larga escala – na Universidade de Stanford (EUA), há um acervo apenas para os trabalhos de Freire.

“O mundo inteiro percebe e sabe que Paulo Freire tem reflexões muito necessárias para a educação. É fácil verificar isso. Ele ainda é pouco conhecido no Brasil fora da comunidade acadêmica. Espero que, com esses vídeos, todos tenham a oportunidade de conhecer primeiro a obra dele, para depois poderem estabelecer as suas reflexões”, finalizou Fonseca.

Fica a dica para um financiamento coletivo que vale a pena. E vale ainda conferir outros vídeos de Fonseca no seu canal no YouTube, os quais, segundo o próprio professor, visam "levar conhecimentos acadêmicos para fora dos muros da universidade".

LEIA TAMBÉM

- Após faixa pedir um ‘basta de Paulo Freire', ONU divulga mensagem aos que dispensam ensinamentos de Paulo Freire

- Não 'basta de Paulo Freire'

- BAIXE: Obra do educador Paulo Freire está disponível para download