NOTÍCIAS
19/03/2015 14:35 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

Sem papas na língua, irmãos Cid e Ciro Gomes colecionam momentos de grosseria ou 'verdades'

Montagem/Estadão Conteúdo

Além da tradição na política, os irmão Gomes, Cid e Ciro, têm outro ponto em comum na história de vida: os sincericídios.

Na quarta-feira (18), Cid pediu demissão após reiterar que na Câmara há deputados que querem achacar a presidente. Ele foi convocado para prestar esclarecimentos, pediu desculpas aos que não agem daquele jeito e partiu para cima dos demais.

O Brasil Post relembra alguns momentos em que os irmãos foram grosseiros e não tiveram papas na língua:

1 - Papel de Mulher

Em plena na disputa presidencial de 2002, questionado sobre o papel de sua mulher, na época a atriz Patrícia Pillar, na campanha, Ciro soltou: "A minha companheira tem um papel fundamental. Ela dorme comigo". A declaração repercute até hoje.

2 - Desvio de dinheiro é natural

Ano passado, quando estava no comando do governo do Ceará, Cid teve mais um de momentos de muita sinceridade. Ao defender o petista Camilo Santana, hoje governador do estado, Cid disse que "desvio de dinheiro é natural e intrínseco ao serviço público".

3 - Ensino por amor e não por dinheiro

Em 2011, no meio de uma greve de professores, o então governador do Ceará, Cid Gomes, disse que quem se dedica ao ensino deve colocar o amor em frente do retorno financeiro. Para ele, "quem está atrás de riqueza, de dinheiro, deve procurar outro setor e não a vida pública”.

“Quem entra em atividade pública deve entrar por amor, não por dinheiro."

4 - Mandar irmão de paciente com câncer ir à merda

No inicio do ano passado, então secretário de Saúde do Ceará, Ciro Gomes, mandou o irmão de uma paciente com câncer "ir à merda". O parente de Ana Joaquina, 56 anos, questionava Gomes sobre a falta de dinheiro para comprar remédio, enquanto o estado construía estádio.

5 - Falta de paciência com a saúde

Entre pedidos de mais saúde e menos Copa, Ciro mais uma vez detonou um paciente:

6 - Todo mundo sabe que está roubando

Em fevereiro de 2012, no calor da faxina política, em meio a uma reforma ministerial, Ciro Gomes atacou os colegas de Parlamento. Segundo ele, no cafezinho do Congresso todo mundo sabe quem está roubando. "Quando a imprensa chega já está fedendo faz tempo", emendou.

7 - Frouxo e covarde

A língua afiada de Ciro Gomes também se reflete no que ele anda escrevendo. Pelo Facebook, ele e o vereador capitão Wagner, ambos do Pros, protagonizaram uma discussão cheia de insultos. A troca de acusações começou após a notícia de que o vereador poderia ser secretário de Segurança, caso um adversário político fosse eleito.

“Nunca usei drogas na vida, a não ser álcool moderadamente e nos fins de semana. Posso provar. E você, vereador Wagner, seu frouxo covarde, tem ao menos coragem de afirmar diretamente o que você, como uma verdadeira mocinha fuxiqueira, anda escrevendo?”

8 - Marginais fardados

A relação de Ciro com os policias não é das melhores. Em mais uma ocasião, ele os chamou de "marginais fardados".

9 - 'Não é mais moderno esse raciocínio'

E para fechar, em um debate sobre economia, Ciro partiu com tudo para cima de Rodrigo Constantino. Cortou o economista, disse que o raciocínio dele não era mais moderno e seguiu…