NOTÍCIAS

'Tem açúcar?' Conheça o site que resgata o hábito de pedir coisas emprestadas aos vizinhos

16/03/2015 15:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02
iStock

Imagine ter de arrumar um chuveiro queimado e se dar conta que falta uma ferramenta. Ou então, ao fazer um bolo para uma visita que está prestes a chegar, você percebe que não tem farinha. É, muita gente já passou por uma situação de apuro como essas e não soube o que fazer - a não ser sair correndo atrás de um supermercado ou apelar para um amigo.

Mas, com a ajudinha de um site, você poderá pedir a um de seus vizinhos, igualzinho assim como seus pais e avós faziam. A plataforma "Tem Açúcar?" facilita a doação e empréstimo de produtos domésticos entre pessoas que moram perto umas das outras. "Eu vi sites parecidos na Europa e Estados Unidos e quis implementar no Brasil", disse a estudante de Comunicação Social e fundadora do site, Camila Carvalho, de 25 anos.

"É uma forma de conhecer um vizinho, que antes era desconhecido"

Segundo a estudante, a proposta é promover um consumo mais consciente, evitando gastos desnecessários com coisas que serão usadas pouquíssimas vezes. Em vez de deixar a furadeira guardada, por exemplo, por que não emprestar a alguém?

O site, totalmente gratuito, fez sucesso desde seu lançamento, em julho de 2014. Hoje, tem mais de 33,5 mil usuários de todo o País. Sobre coisas inusitadas, Camila conta que já pediram emprestado de tudo, até o tempo dos vizinhos. "Já pediram ajuda para fazer horta, pediram vaga na garagem e até eletrodomésticos para testar antes de comprar", conta.

Como funciona

Os interessados em fazer parte do Tem Açúcar precisam se inscrever no site com o e-mail ou pelo perfil do Facebook e fornecer seu endereço (que não será divulgado). Após o cadastro, o usuário pode buscar por um item como, por exemplo, uma barraca de camping, e o site envia um e-mail para as pessoas que moram próximo perguntando quem pode emprestar ou doar o artigo.

Os vizinhos que responderem positivamente são colocados em contato com o usuário para conversarem e esclarecerem as condições do empréstimo ou da doação. "Por exemplo, a condição para emprestar a barraca é que se ela quebrar você paga, ou a condição para emprestar o vestido é que você devolva lavado", explica Camila.

Se os dois estiverem de acordo, eles marcam um local e horário se encontram e o empréstimo ou doação ocorrem. Após a devolução, os usuários são convidados a se avaliarem quanto à pontualidade e cuidado com o objeto.

Camila lembra que o site não oferece garantia caso aconteça algo, mas a avaliação fica exposta no perfil do usuário que fez o empréstimo para servir de alerta para o próximo contato. "Atualmente se alguém não devolve algo, o usuário que emprestou pode, além de escrever isso no perfil de quem pegou emprestado, bloquear o perfil dessa pessoa avisando para outros usuários e impedindo que essa pessoa interaja até resolver o conflito anterior."

Com tanto sucesso, a estudante já pensa em uma próxima versão. "A busca será por raios, ou seja, o usuário decide o tamanho do raio de pessoas com as quais ele quer interagir - se é 5 km ou 15 km ao redor da sua casa, por exemplo. Pretendemos em breve ter um aplicativo."

As próximas versões também deverão gerar lucro para a empresária, que aposta em uma forma de financiamento colaborativo.

"Eu acredito em um modelo onde os próprios usuários financiam o site de acordo com um valor que é confortável para eles. Esse modelo de financiamento já traz em si uma consciência sobre a forma de consumir."