MULHERES
16/03/2015 10:35 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

7 formas de começar a correr (e fazer disso algo divertido)

Você não vai gostar de ouvir isso, mas sou uma daquelas pessoas (chatas) que realmente amam correr.

Se você não me conhece, provavelmente já teve contato com alguém parecido comigo. Sorrimos na esteira. Falamos (sem parar) sobre treinos. Pulamos o happy hour para dar aquela corridinha. Estamos comendo o tempo todo

Acho que falo por muitos corredores quando digo que não estamos tentando ser chatos. Não consigo conter meu entusiasmo. Se tenho tanto prazer correndo, por que não seria assim com os outros? Quero que você experimente correr, assim como quero que você leia o último livro que adorei (The Golem and the Jinni, para sua informação).

Mas, tanto no trabalho como na minha vida pessoal, as pessoas sempre me dizem o quanto odeiam correr.

Minha primeira reação costuma ser “Tudo bem!”. Você não precisa correr para ser saudável e estar em forma. E, com tantas maneiras de se exercitar, a vida é curta demais para escolher uma de que você não gosta. Recomendo dar uma procurada até encontrar algo que realmente combine com a sua personalidade.

1. Faça pausas para caminhar.

Isso mesmo. E, sim, você ainda pode dizer que “corre”. Na verdade, um estudo recente descobriu que intervalos regulares de caminhada ao longo de uma corrida longa podem ajudar a manter o ritmo que você manteria se corresse o percurso todo. Além disso, caminhar diminui o estresse sobre o corpo, segundo o The New York Times. Caminhar também é um intervalo para a cabeça que ajuda a transformar uma corrida longa em pedaços menores, mais fáceis de conquistar. O que se traduz em mais “linhas de chegada” – e mais danças comemorativas.

crédito: USA Today

2. Pense naquela vez que você correu super bem, em vez de se concentrar nas sensações ruins.

É muito fácil se convencer de não correr – está frio, estou cansado, vai doer. Mas uma simples mudança de mentalidade facilita muito a tarefa de manter sua rotina de corridas. Um estudo recente sugere que lembrar de uma memória positiva que aumente sua motivação para se exercitar – como a primeira vez que você correu mais de um quilômetro ou o dia em que marcou seu melhor tempo num percurso de 5 quilômetros – aumenta significativamente as chances de que você treine. Pensamentos viram realidade!

3. Faça algum esporte coletivo.

Você pode preferir futebol, softball, basquete, hóquei na grama, frisbee ou até mesmo quidditch – existem várias maneiras de correr sem usar a palavra corrida. Junte-se aos amigos e pratique uma atividade divertida e saudável. É mais fácil se envolver e manter a rotina de exercício com esportes coletivos. Um estudo de 2005 mostrou que temos motivações diferentes para praticar um esporte em grupo e para fazer exercícios na academia. Eles são divertidos e desafiadores e não dizem respeito somente a perder peso e entrar naquela calça. Amor correr, mas também amo meu futebol de toda semana muito mais que amo a esteira.

4. Corra com um amigo.

Uma das grandes vantagens de se exercitar com um amigo é que vocês passam mais tempo juntos. O importante é vocês terem os mesmos objetivos para a corrida. Um amigo ajuda a seguir seu plano de treino e também é uma ótima companhia. Os quilômetros passam voando.

5. Dê aquele sorriso forçado.

Da próxima vez que vir alguém como eu chacoalhando feliz da vida na esteira ao lado, entre para o time, nem que seja puro fingimento. Forçar um sorriso pode reduzir o estresse e te deixar mais feliz, nem que seja só um pouquinho.

6. Monte a playlist perfeita.

Com certeza você já correu ouvindo música, mas escolher a trilha sonora perfeita é uma ciência. Com a playlist certa, correr pode ser muito mais divertido, segundo a Scientific American:

A música distrai do cansaço e da dor, melhora o humor, aumenta a resistência, reduz a sensação de esforço e pode até mesmo melhorar a eficiência metabólica. Quando ouvem música as pessoas vão mais longe correndo, andando de bicicleta ou nadando – muitas vezes sem perceber. Em uma resenha de estudos realizada em 2012, Costas Karageorghis, da Universidade Brunel, de Londres, um dos maiores especialistas do mundo na psicologia da música no exercício, escreveu que a música pode ser considerada “um tipo de doping legal”.

Encontre a música com o ritmo certo e você não resistir à batida. Aplicativos como RockMyRun e TempoRun podem te ajudar a encontrar as músicas ideais para o seu ritmo.

7. Faça treinos de intervalos.

Ótima notícia para quem já pensou: “Quando é que isso vai terminar?!”. Com intervalos, você tem os mesmo benefícios cardiovasculares em menos tempo! Se você estiver correndo na rua, meça os intervalos de acordo com os postes: a cada cinco passados, aumente o ritmo até o próximo. Você pode usar outros pontos de referência, como quarteirões. Se estiver na esteira, corra dois minutos num ritmo moderado, aumente a velocidade por um minuto e depois volte ao ritmo anterior. Repita até dizer chega.

É claro que isso só funciona se você estiver pronto, com o tênis amarrado. Quando preciso de motivação para correr (e isso acontece até com gente que ama corrida), gosto de pensar em mim mesma no futuro. Vou ficar feliz depois de correr? Vou me sentir melhor? A menos que você esteja doente, contundido ou com o sono muito atrasado, mesmo que você odeie correr, aposto que a resposta vai ser “sim”.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

Os 6 melhores exercícios de perna que não são de agachamento ou flexão (GIFs)

O que é melhor para perder barriga: musculação ou exercício aeróbico?

6 motivos para começar a se exercitar ao ar livre