NOTÍCIAS
09/03/2015 10:54 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Juiz Alexandre Infante posta que Dilma Rousseff vai sancionar Lei do Feminicídio ‘em causa própria', recua e diz que ‘era piada'

Montagem/Estadão Conteúdo, Twitter e Ajufe

O juiz federal Alexandre Ferreira Infante Vieira virou notícia nacional na noite deste domingo (8), por conta do que chamou de uma ‘piada’ feita com a presidente Dilma Rousseff em sua página pessoal no Twitter.

“Dilma disse que vai sancionar amanhã lei do Feminicídio. Legislando em causa própria?”, escreveu o magistrado.

postjuiz

Juiz achou que cabia piada em tema polêmico (Reprodução/Twitter)

Para quem não sabe, durante pronunciamento na TV na noite deste domingo, Dilma afirmou que sancionaria nesta segunda-feira (9) o projeto de lei 8305/14 do Senado, que modifica o Código Penal para incluir o crime de feminicídioassassinato de mulher por razões de gênero – entre os tipos de homicídio qualificado.

Diante da repercussão negativa, Infante apagou os seus dados pessoais no Twitter, apagou o tweet polêmico, e procurou se justificar em uma série de mensagens. De acordo com o juiz, tudo não passou de ‘piada’ e acabou ‘deturpado’ pela ‘turma do politicamente correto’.

O Brasil Post procurou na manhã desta segunda-feira a Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), entidade da qual Infante é tesoureiro e integrante da diretoria, para saber se haverá algum tipo de posicionamento acerca da polêmica. Segundo a assessoria de imprensa, a cúpula da Ajufe vai analisar o tema e divulgará ainda nesta segunda uma posição.

Já a Ajufe de Minas Gerais, da qual o juiz federal é secretário-geral, não atendeu às ligações da reportagem.

Nas redes sociais, muitos internautas não perdoaram a 'brincadeira'.

LEIA TAMBÉM

- Lei do Feminicídio no Brasil: Por que as mulheres precisam de uma proteção específica contra crimes

- ESTUDO: Lei Maria da Penha faz 9 anos e barra aumento da violência contra mulher

- Lei do Feminicídio no Brasil: Ministério Público de SP lança campanha online para combater violência contra a mulher