NOTÍCIAS
05/03/2015 15:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Lista de Janot inclui Gleisi e Paulo Bernardo, diz jornal; Denúncias contra Dilma e Aécio devem ser arquivadas

Montagem/Estadão Conteúdo

A lista de abertura de inquérito contra 54 pessoas, sendo cerca de 45 políticos, entregue pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao STF também recomenda que não se abram investigações. Segundo a Folha de S. Paulo, o pedido de arquivamento inclui a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), ambos candidatos nas eleições de 2014.

Entre as recomendações abertura de investigação estão os nomes de políticos como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Outros dois peemedebistas foram citados. O ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (PMDB-MA) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR), segundo vice-presidente do Senado. Lobão contratou o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, para fazer sua defesa. O peemedebista tem estado muito nervoso e busca informações para saber exatamente em qual contexto foi citado. Por enquanto, sabe apenas que seu nome foi implicado durante depoimento de delação premiada feito ao Ministério Público pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

De acordo com a Folha de S. Paulo, constam também os nomes da ex-ministra da Casa Civil, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), e seu marido, o ex-ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM

- Lista de Janot tem cerca de 45 políticos

- Criação de sub-relatorias causa tumulto e bate-boca entre deputados na CPI da Petrobras

- Doleiro Alberto Yousseff diz que obra na refinaria Abreu e Lima (PE) gerou propina para PP, PSDB e PSB, diz jornal