LGBT

A Mulher-Gato é bissexual, mas a DC só resolveu te contar agora (FOTOS)

02/03/2015 16:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Nas histórias em quadrinhos de super-heróis, é frequente encontrarmos personagens LGBT ou de outras minorias. Por exemplo, no caso da Marvel Comics, o x-man Estrela Polar é gay; na DC Comics, a Batwoman ("mulher-morcego") é lésbica.

E, agora, foi a vez da Mulher-Gato, do universo Batman, sair do armário – a personagem é bissexual. A prova disso está na imagem abaixo:

catwoman Mulher-Gato beija Eiko Hasigawa, que a substituirá na atividade, como dito pela Vanity Fair

A cena é de Catwoman #39 e deu fim ao antigo boato sobre a orientação sexual da Mulher-Gato, que, em diversas ocasiões, se envolveu com Batman.

A roteirista da série, Genevieve Valentine, escreveu em seu blog:

"Ela [Mulher-Gato] tem flertado – e frequentemente – por anos; agora para mim, isso não foi tanto uma revelação quanto uma confirmação."

Essa informação é definitiva sobre a personagem, ou seja, não é elemento de um arco narrativo específico, como um universo paralelo ou uma história isolada. Algo como ela "sempre foi bissexual, mas só decidimos contar agora."

catwoman

Capa de Catwoman #39. O roteiro é de Genevieve Valentine, a arte é de Garry Brown e a capa é de Jae Lee. Chegou às lojas no dia 25 de fevereiro

Selina Kyle apareceu nos quadrinhos pela primeira vez em Batman #1 (1940). Criada por Bill Finger e Bob Kane, a personagem educou a si mesma vivendo nas ruas de Gotham City, após fugir da casa de sua família abusiva, e tornou-se uma ladra para se sustentar.

LEIA TAMBÉM:

- Uma primeira olhada em 'A-Force' - Os Vingadores da Marvel só com mulheres

- Feminismo: nos quadrinhos, versão feminina de Thor dá surra em vilão machista

- Novo Homem-Aranha do cinema pode ser negro

- Agência Pública produz reportagem em quadrinhos sobre exploração infantil em Fortaleza