NOTÍCIAS
02/03/2015 00:38 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

13 motivos para sentirmos falta do presidente do Uruguai, José 'Pepe' Mujica, que legalizou a maconha

Montagem/ AP Photo

O presidente uruguaio, José "Pepe" Mujica, tornou-se uma celebridade instantânea em 2012, depois que a BBC publicou uma matéria especial documentando seu estilo de vida austero e detalhando seu passado. Um ex-combatente da guerrilha que passou 14 anos na prisão -- mais de dez deles em confinamento solitário e dois no fundo de um buraco --, mais tarde Mujica repudiou a violência e tornou-se um político bem sucedido da Frente Ampla, de esquerda.

"Anos atrás costumávamos pensar que havia guerras boas e guerras más", disse Mujica a estudantes da Universidade Americana em maio de 2014.

"As boas eram as que tinham uma causa justa e nobre, processos de libertação. Hoje, com todo o nosso conhecimento tecnológico e científico, a guerra -- qualquer que seja sua tendência -- acaba se tornando um sacrifício para os mais fracos na sociedade... a pior negociação é melhor que a melhor guerra. É o que eu penso hoje, porque conheço a dor e o sacrifício da guerra."

Neste domingo (1º), Mujica entregou a presidência ao seu antecessor, Tabaré Vázquez. Ele se elegeu com 52,8% dos votos frente a 40,5% de seu adversário conservador, Luis Lacalle Pou. Vázquez já foi presidente do Uruguai entre 2005 e 2010, mas agora tem a (difícil) missão de substituir um líder carismático e excêntrico.

A presença internacional de Mujica se solidificou em 2013, quando ele ficou famoso por legalizar o comércio de maconha, um esforço pioneiro para refrear o poder dos traficantes de drogas e promover a transição para o tratamento da dependência de drogas como questão de saúde pública, mais que criminal.

Mesmo nas democracias, poucos eleitos para a presidência vivem de modo parecido com a maioria das pessoas que vão representar. Mujica conquistou uma posição de celebridade internacional graças em parte ao fato de levar uma vida simples e usar aforismos populares em um mundo onde os políticos importantes têm estilos de vida mais luxuosos do que a maioria das pessoas pode imaginar. Enquanto isso, pedem dinheiro aos que deveriam governar para financiar suas campanhas eleitorais cada vez menos democráticas.

Aqui estão 13 motivos pelos quais sentiremos falta de Mujica agora que ele deixou a presidência do Uruguai.

1. Ele legalizou a venda de maconha

yescannabis

O inovador presidente uruguaio assinou uma lei em 2013 que criou o primeiro mercado mundial de maconha regulamentado por um governo nacional.

Mujica defendeu a ideia, dizendo que ela anularia o poder dos cartéis de drogas e permitiria que o governo se concentrasse na questão como um problema de saúde pública, em vez de criminal.

"Pedimos que o mundo nos ajudasse a criar essa experiência", disse Mujica ao jornal "Folha de S.Paulo". "Ela nos permitirá adotar uma experiência sociopolítica para abordar o sério problema do tráfico de drogas... o efeito do tráfico de drogas é pior que o das drogas."

2. E legalizou o casamento gay

casamento

Embora mais conhecido por legalizar a maconha, Mujica também comandou a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2013. O Uruguai foi o 12º país do mundo a fazer isso.

3. Ele é realmente um funcionário público

mujica

Chamado de "o presidente mais pobre do mundo" pela BBC, Mujica doa 90% de seu salário para instituições de caridade e vive modestamente. Quantos políticos americanos, que alegam servir ao público, podem dizer o mesmo?

4. Ele usa sandálias em eventos de Estado.

mujica sandalia

Este é Mujica em 26 de dezembro de 2013, na cerimônia de posse de seu novo ministro das Finanças, Mario Bergara.

5. Ele detesta gravatas pelos motivos certos.

mujica

A informalidade de Mujica não se limita aos calçados. Em uma entrevista ao jornalista espanhol Jordi Evole, Mujica criticou a gravata, chamando-a de símbolo do consumo. "A gravata é um trapo inútil que aperta seu pescoço", disse Mujica.

"Sou inimigo do consumo. Por causa desse hiperconsumismo estamos esquecendo coisas fundamentais e desperdiçando a força humana em frivolidades que têm pouco a ver com a felicidade humana."

6. Ele foi incrivelmente citável

mujica

Um autoproclamado "campesino com bom senso", Mujica tem uma maneira própria de dizer o tipo de pérolas filosóficas que você quer prender à geladeira.

7. Ele dirige um Fusca, apesar de poder comprar algo melhor

mujica

Um xeque árabe ofereceu a Mujica US$ 1 milhão por seu Fusca 1987. Ele recusou. "Não poderíamos vendê-lo", explicou em novembro. "Ofenderíamos todos os amigos que se cotizaram para comprá-lo para nós."

8. Ele é do rock

mujica

A banda Aerosmith se encontrou com Mujica em 2013 e lhe ofereceu uma guitarra autografada. O presidente colocou o instrumento em leilão para angariar dinheiro para a construção de moradias.

"É assinada por todos eles e certamente vale muito", disse Mujica, comentando que não é muito bom guitarrista. "Aquele instrumento deve ter sido inventado por um anarquista que também era bêbado, porque é muito difícil."

9. Ele vive em uma fazenda, e não em uma mansão

mujica fazenda

O presidente do Uruguai sempre diz que gosta de levar uma vida simples para poder desfrutar das coisas que gosta de fazer, como trabalhar em sua fazenda de flores. Ele continua vivendo lá, sem empregados, em vez do palácio presidencial.

"Vivi nesta fazenda a maior parte da minha vida", disse Mujica à BBC em 2012. "Posso viver bem com o que tenho."

10. ...com sua cachorra de três pernas, Manuela

manuela

Que é um doce.

11. Sua mulher também é durona

lucia

Nas palavras do jornalista Will Carless, em um texto para o "Global Post", a esposa de Mujica, Lucía Topolansky, é uma primeira-dama "senadora, ex-guerrilheira, fugitiva da prisão, sobrevivente de tortura, uma linda loura que hoje usa cabelos brancos revoltos, fazendeira e durona".

12. Ele disse o que realmente pensa na ONU

mujica onu

Quando o presidente do Conselho Internacional de Controle de Narcóticos, uma agência da ONU, acusou o Uruguai de se recusar a reunir-se com as autoridades do órgão antes de legalizar a maconha, Mujica não mediu palavras.

"Diga a esse velho para não mentir", disse Mujica à imprensa, referindo-se ao presidente do INCB, Raymond Yans.

"Qualquer sujeito na rua pode se encontrar comigo. Que ele venha ao Uruguai e se encontre comigo sempre que quiser... Ele acha que porque está em um cargo internacional pode dizer as mentiras que quiser."

O Departamento de Drogas e Crime da ONU, por sua vez, criticou o Uruguai por legalizar a venda de maconha, enquanto derramou elogios pela iniciativa antidrogas do Irã -- país que executa traficantes.

13. Sem falar no "bando de velhos filhos da puta" da Fifa.

Perguntado por um repórter de televisão como se sentia sobre a expulsão pela Fifa do atacante uruguaio Luis Suárez, por morder, Mujica deu uma resposta franca.

"A Fifa é um bando de velhos filhos da puta", disse, depois pondo as mãos sobre a boca como se as palavras lhe tivessem escapado acidentalmente.

Sem saber se devia transmitir o comentário, o jornalista esportivo Sergio Gorzy pediu autorização a Mujica.

"Por mim, publique", disse o presidente.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.