NOTÍCIAS
13/02/2015 10:46 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

David Carr, jornalista do The New York Times, morre aos 58 anos

Getty Images

O colunista do jornal The New York Times (NYT) David Carr morreu nesta quinta-feira aos 58 anos, informou o jornal americano sem explicar as causas da morte. “Carr desmaiou na redação do jornal e morreu no Hospital St. Luke's-Roosevelt”, informou o NYT, sem oferecer mais detalhes a respeito. Carr era famoso por sua coluna 'Media Equation', na qual escrevia sobre os “meios de comunicação e sua intersecção com os negócios, a cultura e o governo”, descreveu a publicação em um obituário. O colunista lutou durante boa parte de sua vida contra a dependência de cocaína e álcool, vícios que superou e serviram de inspiração para o livro autobiográfico 'A Noite da Arma'.

Carr foi contratado pelo jornal nova-iorquino em 2002 como repórter de economia após colaborar com revistas como The Atlantic Monthly e New York Magazine. Sua prestigiada coluna 'Media Equation' era publicada todas as segundas-feiras no caderno de economia do periódico. Antes de se mudar para Nova York, Carr foi editor durante cinco anos do Washington City Paper, uma conhecida publicação de lazer e cultura da capital.

Carr começou na carreira jornalística em seu estado natal, Minnesota, onde já escrevia uma coluna sobre os meios de comunicação, uma paixão que também o levou a ser um reconhecido comentarista nas principais emissoras de televisão dos Estados Unidos. No documentário sobre o NYT, "Page One: Inside the New York Times", de 2011, Carr se sobressai como um dos protagonistas e aparece em uma das cenas defendendo apaixonadamente o trabalho de seus colegas de redação, considerados “velhos e ultrapassados” por jornalistas das novas mídias.

Dean Baquet, editor executivo do New York Times, disse, em nota da redação, que Carr foi "o melhor repórter de mídia de sua geração, um homem notável e engraçado, que foi um dos líderes da nossa redação. Ele foi o nosso maior campeão. Sua família no Times, seus leitores ao redor do mundo e pessoas que amam o jornalismo sentirão falta de sua paixão sem fim pelo jornalismo e pela verdade". Ainda na quinta-feira, Carr moderou uma discussão sobre os vazamentos da Agência Nacional de Segurança americana (NSA, na sigla em inglês) com Edward Snowden e os jornalistas Glenn Greenwald e Laura Poitras, diretora do documentário "Citizenfour".

O colunista vivia em Nova Jersey com a mulher Jill Rooney e sua filha Maddie. Ele também tem outras duas filhas gêmeas, Erin e Meagan. Em 2014, Carr esteve no Brasil para participar da Flip (Festa Literária de Paraty). Passou também por Rio e São Paulo, onde palestrou para jornalistas da Editora Abril e Folha de S. Paulo.

(Com agência EFE)

LEIA MAIS:

- 6 coisas que os obituários podem ensinar sobre viver melhor

- Como a yoga da morte me ajudou a renascer