MUNDO
02/02/2015 10:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Barack Obama considera enviar armas e equipamentos para as forças ucranianas, diz NYT

Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, considera enviar armas e equipamentos de defesa para as forças ucranianas, em um momento de intensificação dos combates contra os rebeldes. As informações são do jornal The New York Times.

Segundo o jornal, autoridades norte-americanas, como o secretário de estado John Kerry, se mostraram abertas para discutir o tema. O comandante da Otan, o general americano Philip Breedlov, é favorável à entrega de armas defensivas.

O NYT informou ainda que Kerry pretende visitar Kiev, capital da Ucrânia, na próxima quinta-feira, para conversar com o presidente Petro Poroshenko e outras autoridades. Na semana passada, Obama expressou preocupação com novos combates entre o país e separatistas apoiados pela Rússia.

Os Estados Unidos acusam a Rússia de estar por trás da ofensiva dos separatistas ucranianos, mas até agora se negaram a entregar armas às autoridades de Kiev.

Por enquanto, a Casa Branca dá assistência militar não letal, que inclui coletes à prova de balas, equipamentos médicos e radares para detectar disparos de morteiros.

Combates longe do fim

De acordo com a Agência Reuters, disparos de artilharia contra a cidade ucraniana de Donetsk mataram mais um civil nesta segunda-feira (2), enquanto as Forças Armadas de Kiev disseram que mais cinco soldados morreram em confrontos com separatistas do leste nas últimas 24 horas.

Também nesta segunda-feira, o líder separatista pró-Rússia, Alexander Zajarhenko, anunciou que pretende mobilizar nos próximos dias ao menos 100 mil soldados para combater o Exército ucraniano.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, as negociações de paz que estavam sendo feitas foram abandonadas no sábado (31) e não há previsão de cessar-fogo.

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter

LEIA TAMBÉM:

- Boko Haram ataca principal cidade do nordeste da Nigéria

- Vídeo mostra Estado Islâmico decapitando jornalista japonês