VIRAL
29/01/2015 18:20 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Ninguém sabe por que Benjamin Bennett fica sentado e sorrindo para a câmera por 4 horas... (VÍDEO)

Quase todos os dias, Benjamin Bennett liga sua webcam e transmite, via Youtube, um vídeo em que aparece sentado como um iogue, sorrindo para a câmera. Sem motivo aparente.

Enquanto escrevo estas linhas, Bennett está fazendo seu 38º vídeo. Em todos, o rapaz segue o mesmo roteiro: por quatro horas, fica imóvel, simplesmente sorrindo, em silêncio absoluto. Silêncio que não é correspondido pelos espectadores que o assistem ao vivo: durante a gravação do 25º vídeo, o público começou a questionar sua atitude — algumas pessoas achavam que aquilo era sua forma de fazer arte; outros simplesmente apontaram que o rapaz só poderia ser mentalmente perturbado.

A resposta veio por meio de uma entrevista à VICE. Bennett disse:

"Eu não sei [por que faço isso]. Me parece algo que faltava à internet. Algo que deveria ser feito e que ninguém mais estava fazendo. (...) Não há um propósito nisso. Meu inbox tá cheio de e-mails perguntando por que eu faço isso, mas acho que a pergunta não se aplica a este tipo de atividade. (...) Você pode colocar [a ação] no contexto de arte performática, e eu definitivamente tenho interesse em arte performática e estética relacional. Acho que, na verdade, não é importante o que eu considero — é mais importante o que o espectador considera. Não preciso categorizar."

Seu comprometimento ao projeto — podemos chamar de projeto? — é tão grande que, de acordo com o Metro, ele já se negou a interromper uma das sessões quando percebeu que havia um ladrão no apartamento. O caso foi devidamente registrado no vídeo número 5.

Quando o player marca por volta de 2:36:30, é possível ouvir barulhos e uma voz dizer "Hello?". Bennett explica:

"Era próximo do Dia de Ação de Graças e eu ouvi uma porta bater. Eu estava sozinho em casa. Então ouvi barulhos altos e alguém percorrendo o andar de baixo enquanto eu estava no andar de cima. Meu coração bateu forte, mas eu sabia que não reagir era a melhor coisa a fazer."

Ainda que ninguém saiba por que ele sorri para a câmera — e por que isso merece tamanho comprometimento a ponto de ser mais importante que um furto em andamento —, algo é fácil de deduzir: mal não há em ficar sorrindo feito bobo por horas.