NOTÍCIAS
27/01/2015 08:29 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Fidel Castro quebra silêncio e manifesta apoio à reaproximação de Cuba com os EUA

Ed Ferreira/Estadão Conteúdo

Mais de um mês depois de Cuba tomar a decisão histórica de reatar relações diplomáticas com os Estados Unidos, o ex-presidente cubano Fidel Castro fez seu primeiro comentário sobre o assunto.

Em carta escrita para uma entidade estudantil e lida na Universidade de Havana, Fidel manifestou apoio às negociações, embora tenha ressaltado que não confia na política norte-americana.

"Não tenho trocado nenhuma palavra com eles (norte-americanos), mas não rejeito uma solução pacífico para o conflito", disse o líder cubano. "Nós sempre defenderemos a cooperação e a amizade com todas as pessoas do mundo, incluindo nossos adversários políticos", acrescentou.

A carta de Fidel também foi publicada no jornal estatal Granma. Antes disso, há duas semanas, ele enviou uma carta ao ex-jogador de futebol argentino Diego Maradona, na qual deu fim aos rumores de que havia morrido, depois de quase três meses sem aparições ou declarações públicas.

EUA e Cuba anunciaram o retorno das relações diplomáticas no último dia 17 de dezembro. O silêncio de Fidel até então levantou dúvidas sobre seu apoio à decisão do irmão Raul Castro, que preside o país desde que Fidel deixou o cargo, em 2008, por problemas de saúde.

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter

LEIA TAMBÉM

- Cuba e EUA concluem primeiras conversas com diferenças sobre os direitos humanos

- Os melhores tweets sobre a 'reconciliação' entre Cuba e EUA

- Cuba liberta todos os 53 presos previstos em acordo com os EUA

- Cuba: o caminho até o acordo