NOTÍCIAS
28/01/2015 00:54 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:23 -02

12 questões para entender o que é o Brasil Post

Em um jornal comum, o ciclo da notícia termina quando ela é publicada. No The Huffington Post, é o contrário: o ciclo começa a partir da sua publicação, com blogs, comentários e curadoria.

Muitas vezes, isso suscita estranhamento e dúvidas. Por isso, fizemos um FAQ com os pontos essenciais para entender quem somos:

1. Brasil Post, quanto você ganha para defender o partido x?

O Huffington Post não tem partido político, mas todas as suas edições ao redor do mundo se posicionam favoravelmente a bandeiras progressistas como o respeito pleno aos direitos humanos, descriminalização da maconha, a preservação do meio ambiente, os direitos LGBT, o combate ao racismo, o empoderamento das mulheres e a transparência na gestão pública.

2. "Aqui a gente conversa"?

Muitos leitores esquecem que nós somos seres humanos: temos paixões, defeitos e crenças como qualquer um.

Isso quer dizer que lemos TODOS os comentários e, sempre que possível, procuramos responder aqueles que trazem algo novo à discussão.

Além disso, comentários e sugestões de leitores frequentemente são usados como ponto de partida para matérias como esta.

Gostamos mais de comentários do que de vídeos de gatinhos. Queremos saber o que você pensa! É nosso slogan: Aqui a gente conversa.

A redação do Brasil Post em um dia comum

3. Por que vocês estão falando do assunto y, e não de x?

Hoje, todos somos produtores e consumidores de informação: interagimos, comentamos e nos engajamos com tudo o que vemos. Por isso, acreditamos que a repercussão de um fato é tão relevante quanto o fato por si próprio.

Seja a crise da água em São Paulo, a ida de uma celebridade à praia ou um meme altamente explosivo: com a abordagem adequada, o que quer que esteja na boca das pessoas pode ser notícia.

4. Outra Medida? O que é isso?

"Na manhã do dia 6 de abril de 2007, eu estava caída no chão do escritório de casa em uma poça de sangue. Na queda, minha cabeça bateu na quina da minha mesa, cortando meu olho e quebrando minha mandíbula. Eu colapsei de exaustão e falta de sono. (...) Fundamos o Huffington Post em 2005 e, em dois anos, estávamos crescendo em um ritmo incrível. Eu estava na capa das revistas e havia sido escolhida pela revista Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Mas depois da minha queda, eu me perguntei: é com isso que o sucesso se parece?"

Esta é a introdução do livro "A Terceira Medida do Sucesso", de Arianna Huffington.

Ela relata um ponto de virada na vida da fundadora do Huffington Post. A partir desse momento, Arianna se tornou uma verdadeira militante do que ela chama de Third Metric: uma nova forma de pensar o sucesso, além do dinheiro e do poder.

Acreditamos que o modelo atual de sucesso, que equaciona jornadas extenuantes de trabalho, noites mal-dormidas e o acúmulo indiscriminado de bens materiais não é o bastante para definir o que é uma vida bem-sucedida.

Por isso, todas as edições do Huffington Post ao redor do mundo mantém seções inteiramente dedicadas a redefinir o conceito de sucesso. No Brasil Post, esta seção se chama Outra Medida.

5. Como vocês escolhem seus blogueiros?

Nossa seção de blogs é aberta a quem quer que tenha algo relevante para dizer.

Entre nossos 600 blogueiros, há nomes tão diversos quanto o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o deputado estadual Marcelo Freixo, o Jovem Soropositivo, e a mãe e cientista Lígia Sena.

Quanto mais vozes na conversa, melhor. Quer botar uma pitada a mais na discussão? Envie um email para blog@brasilpost.com.br.

Podemos te ajudar?

6. Por que tantos links?

Todo mundo tem algo a dizer na internet. Nosso objetivo é procurar e selecionar o que há de mais bacana nessa multidão de vozes, para fornecer ao leitor uma curadoria desse conteúdo gerado espontaneamente. Veja alguns exemplos:

- ‘Banho coletivo na casa do Alckmin' já tem 120 mil confirmados

- Em seu Twitter, adolescente palestina conta sobre cotidiano na Faixa de Gaza

- Como um ativista pacífico foi transformado em perigoso black bloc

7. Vocês copiam matérias?

Sabe quando você lê alguma coisa muito boa e fica com vontade de recomendá-la a seus amigos? Também sentimos isso. Gostamos de algo? Damos o link.

Se encontramos algum material exclusivo e relevante em outro site, não temos por que copiá-lo disfarçadamente. Usamos um recurso chamado linkout: simplesmente damos o link para a matéria, resumindo rapidamente o assunto para nosso leitor.

8. De onde surgiu o Brasil Post?

Tudo começou há um tempo atrás, na Ilha do Sol em 2005, quando Arianna Huffington fundou seu agregador de notícias e de blogs.

A ideia era selecionar o que havia de melhor na internet e montar uma arena de debate, em que o fato é ponto de partida para blogs, discussões e curadorias. A fórmula deu certo.

Hoje o Huffington Post é um dos site de notícias mais acessados do mundo e mantém 13 edições ao redor do mundo: Estados Unidos, Brasil, Canadá, Alemanha, Espanha, França, Grécia, Índia, Itália, Japão, Coreia do Sul, Maghreb (com base na Tunísia) e Reino Unido.

Aliás, quer saber mais? Recomendamos esse excelente perfil do jornal O Globo.

9. Como pode um jornal usar emoticons?

Vamos lá, caras! Esta é a internet.

Procuramos escrever como falamos com nossos amigos. Não seguimos a fórmula da pirâmide invertida.

Usamos emoticons, GIFs e ~gírias da internet~ se isso fizer sentido no contexto da notícia. Nossos títulos não obedecem às fórmulas do jornal impresso, e nossa home... Bem, é melhor mostrar do que falar:

10. Como a home funciona?

Por que a home de um site noticioso tem de ser visualmente igual a um jornal de papel? Desapega, minha gente! Aqui não temos manchete. Temos splash. Veja alguns que curtimos fazer:

(Continue lendo abaixo)

As melhores splashes do Brasil Post



11. Por que meu tweet está no Brasil Post?

Embedamos tweets, posts de Facebook, vídeos do YouTube e tudo o que for necessário para ilustrar uma reportagem. Algumas pessoas ficam surpresas de verem seus tweets embedados em posts nossos, mas tudo o que está nas redes pode virar notícia. Duvida? Olha só:

- Este tweet tem a resposta ideal para a patrulha do 'corpo perfeito' em cima de Ilze Scamparini e Fernanda Gentil

- Um tweet destrói todo o argumento de Marco Feliciano contra o aborto legal

- Os tweets mais retuitados do #DebateNaGlobo no esquenta para o debate

12. Por que tem coisas que estão no Facebook, mas não estão no site?

Assim como você experimenta a internet por vários meios, nós não limitamos nossa presença ao nosso site.

Estamos no Twitter, no Facebook, no YouTube...

Coberturas de manifestações, por exemplo, sempre são feitas por meio de live tweeting direto na conta do repórter que está na rua. Nossos vídeos diários são postados diretamente no Facebook. Quer acompanhar a gente sem perder nada? Segue a gente aqui e aqui!