NOTÍCIAS
23/01/2015 19:29 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:47 -02

Governo dará total apoio aos estados no combate à crise hídrica, diz ministra

LUIS MOURA/ESTADÃO CONTEÚDO

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou no início da noite desta sexta-feira (23) que o governo federal dará total apoio aos governos estaduais na tentativa de resolução da crise hídrica. Segundo ela, o governo adotará medidas técnicas e dará apoio financeiro às obras emergenciais.

"Não teremos limites de esforços no apoio para assegurar abastecimento de água", afirmou a ministra. A fala dela ocorreu ao fim de uma reunião entre ministros coordenada pela Casa Civil na tarde desta sexta.

Segundo Izabella, o governo federal tem acompanhado a situação não apenas no Sudeste, mas no Brasil inteiro, principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde o quadro é mais complexo. "Temos trabalhado em parceria com os Estados, não só com medidas técnicas, mas também com apoio financeiro para obras emergenciais", disse.

Ela afirmou ainda que a presidente Dilma Rousseffautorizou obras para assegurar o abastecimento de água. "É um momento sensível e complexo e precisamos da colaboração de todos", disse ao pedir que o brasileiro economize água e energia. A despeito desse pedido, ela negou que a reunião ministerial comandada pela Casa Civil tenha tratado de energia.

Transposição do rio Paraíba do Sul

O projeto de interligação do reservatório Jaguari-Atibainha foi incluído na carteira do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), informa o Ministério do Planejamento. A decisão foi tomada ontem pelo CGPAC (Comitê Gestor do Programa de Aceleração do Crescimento).

A obra faz parte dos projetos de segurança hídrica que o governo de São Paulo apresentou à presidenta Dilma Rousseff em dezembro, com o objetivo de reforçar o abastecimento de água no Estado.

O empreendimento integra as águas da bacia do rio Paraíba do Sul ao Sistema Cantareira através de um canal entre as represas Atibainha, que abastece São Paulo, e o reservatório Jaguari, no Rio de Janeiro.

A obra, com investimento estimado pelo Estado de R$ 830,5 milhões, será executada pela Sabesp e aumenta, em média, a disponibilidade hídrica no sistema Cantareira em 5,1 metros cúbicos por segundo, beneficiando toda a região metropolitana de São Paulo, explica o Planejamento.

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter