NOTÍCIAS
22/01/2015 22:36 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Morte do rei Abdullah: monarca saudita era o mais velho na lista de poderosos da Forbes

REUTERS/Zainal Abd Halim

Morreu na noite desta quinta-feira (22) o rei Abdullah bin Abdulaziz, da Arábia Saudita. Ele tinha 90 anos.

A causa da morte ainda não foi confirmada, mas há grandes suspeitas de que seja pneumonia. No começo deste ano, Abdullah teve de ser entubado às pressas devido a uma infecção pulmonar. Na ocasião, a Corte Real divulgou comunicado que dizia:

“Depois dos exames médicos realizados pela equipe médica, tornou-se evidente que houve uma infecção pulmonar que exigiu a colocação de um tubo para auxiliar a respiração temporariamente."

Na tarde de hoje, uma TV libanesa anunciou a morte de Abdullah, considerado um dos últimos monarcas absolutistas do mundo. Naquele momento, o governo saudita negou o falecimento no Twitter; horas depois, a rede de TV Al-Jazeera confirmou o óbito.

Abdullah assumiu o poder oficialmente em 2005, após a morte de seu meio-irmão, o rei Fahd. Uma década antes, contudo, ocupou o posto de regente de facto depois que o rei Fahd teve um infarto e foi considerado incapacitado para comandar a nação.

A gestão de Abdullah é marcada pela modernização do sistema educacional da Arábia Saudita e pela abertura econômica do país, o maior produtor de petróleo do mundo. O rei também não mediu esforços para colocar a Arábia Saudita na Organização Mundial do Comércio.

Além disso, Abdullah, conhecido por ser um defensor da tolerância religiosa, limitou a autoridade da polícia muçulmana e se reuniu com o então Papa Bento XVI.

Em 2013, Abdullah foi considerado pela revista Forbes a oitava personalidade mais poderosa do mundo. No ano seguinte, ocupou a 11ª posição do ranking. Entre os escolhidos pela publicação, o monarca saudita era o mais velho.

SUCESSÃO E FUTURO

Abdullah foi sucedido por seu meio-irmão Salman bin Abdulaziz Al Saud, que ocupava o cargo de ministro da defesa. Um comunicado foi divulgado pela Corte Real:

"Sua Alteza Salman bin Abdulaziz Al Saud e todos os membros da família e da nação lamentam (a perda do) Guardião das Duas Mesquitas Sagradas, rei Abdullah bin Abdulaziz, que morreu exatamente à 1h desta manhã."

O rei Salman nomeou Muqrin como príncipe herdeiro e seu sucessor. Ao fazer a nomeação de maneira imediata, Salman tentou evitar especulações sobre o futuro do maior país exportador de petróleo do mundo.

A Arábia Saudita, que detém mais de um quinto das reservas de petróleo do planeta, também exerce alguma influência sobre a comunidade de 1,6 bilhão de muçulmanos por abrigar Meca e Medina, os locais mais sagrados do Islã.

(Com Reuters)