NOTÍCIAS
29/12/2014 13:01 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Chuva forte: SP contabiliza mais de 130 árvores caídas. Cantareira fica estável em 7,3%

MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Na manhã desta segunda-feira, 29, a capital paulista contabiliza os estragos provocados pela forte chuva ocorrida no início da madrugada. Segundo dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), 133 árvores haviam caído entre 0h23 até as 8h30. A maior parte das quedas foi em bairros das zonas sul e oeste, atingindo inclusive grandes vias como as Avenidas Brigadeiro Faria Lima e Ibirapuera. Naquela região, o Parque do Ibirapuera, que geralmente abre às 5h30, permanece fechado, em virtude de árvores caídas.

A Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, que administra o parque, informou, por volta das 9h, que equipes ainda estão fazendo o levantamento da quantidade de árvores que caíram após a chuva dentro da área verde. Uma lanchonete e algumas trilhas foram atingidas e é preciso remover os troncos e galhos antes de o parque ser reaberto. Ainda não havia previsão de horário para isso acontecer.

chuva

Além das árvores, os semáforos também apresentaram problemas. Havia, por volta das 8h30, um total de 118 pontos com faróis defeituosos nas vias paulistanas, dos quais 103 estavam apagados -- o que pode ter relação com a queda de galhos na fiação, com a interrupção do fluxo de energia elétrica.

Os demais estavam funcionando no amarelo piscante, segundo a CET. O órgão que gerencia o trânsito municipal também informou que em 76 locais semaforizados já estava sendo feita a manutenção dos aparelhos. A quantidade de locais com faróis quebrados nesta segunda-feira corresponde a quase 2% do total da cidade de São Paulo, que tem 6.020 pontos com semáforos.

Desde o ano passado, a Prefeitura tem revitalizado a rede de semáforos, com o intuito de diminuir as panes por chuva. Até novembro, 4.422 já haviam sido recuperados, de acordo com a CET.


Raios e vendaval

A forte chuva que atingiu a cidade na madrugada desta segunda-feira foi acompanhada de descargas elétricas e rajadas de vento. Conforme o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura, a região do Ipiranga, na zona sul, foi a que registrou a maior quantidade de chuva. Ali, houve acúmulo de 29,2 milímetros de chuva.

Em seguida, um bairro vizinho, a Vila Prudente, na zona leste, teve 26 mm. Já a Vila Mariana, na zona sul e também próxima ao Ipiranga, marcou 25 mm. O Itaim Paulista, na zona leste, com 12,8 mm e o Butantã, na zona oeste, com 11,8 mm, aparecem em seguida.

chuvoa

No Aeroporto de Congonhas, na zona sul, segundo o CGE, houve ventania de 96,3 km/h. No bairro Cidade Jardim, na zona sul, foi observada queda de granizo. O CGE informa que o temporal foi provocado por áreas de instabilidade provindas de São Roque, no interior paulista, "intensificadas pelo calor e a alta disponibilidade de umidade na atmosfera".

Para esta segunda-feira, existe possibilidade de mais chuva de forte intensidade no período da tarde, segundo o CGE.


Sistema Cantareira fica estável em 7,3%

Após forte chuva registrada durante a madrugada desta segunda-feira (29) na região metropolitana de São Paulo, o nível do Sistema Cantareira ficou estável, em 7,3%, segundo informações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Há um ano, o índice estava em 27,5%.

O atual cálculo da capacidade do Cantareira, feito pela Sabesp, já considera as duas cotas do volume morto, acrescentadas em maio e em outubro deste ano.

Outros dois sistemas apresentaram aumento no volume de água de domingo para segunda-feira. O Rio Grande elevou de 71,3% para 71,9% e Rio Claro de 33,4% para 33,5%. O Sistema Alto Cotia ficou estável, em 31,6%.

Já o maior sistema, o Guarapiranga, que atende 4,9 milhões de pessoas, teve queda no volume armazenado, de 40,8% para 40,5%. No dia 29 de dezembro de 2013, o volume estava em 70%.

O nível de armazenamento do Alto Tietê, já considerando os 39,4 bilhões de litros do volume morto, acrescentados há quase duas semanas, interrompeu trajetória de altas consecutivas e caiu de 12,1% para 12%. O reservatório abastece 4,5 milhões de habitantes.