NOTÍCIAS
26/12/2014 09:33 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

São Paulo bate recorde de roubos em 2014

FILIPE ARAÚJO/ESTADÃO CONTEÚDO

Mesmo antes de chegar ao fim, 2014 já amarga um recorde negativo: é o ano com mais roubos no Estado de São Paulo desde 2001, quando a metodologia atual de estatísticas da Secretaria de Segurança Pública foi adotada.

Entre janeiro e novembro, foram 286.523 crimes desse tipo — o maior número nos últimos 13 anos. Os dados foram divulgados pelo governo na quarta-feira (24). No acumulado do ano, o Estado de São Paulo experimentou aumento de roubos de 21,89% em relação a 2013.

Na capital, o aumento foi de 28,75%, com maior intensidade de crescimento na zona leste. O crimes de roubo cresce na cidade de São Paulo há um ano e meio, e o último mês de novembro foi histórico: 23.507 ocorrências do gênero — a alta do crime em relação ao mesmo período de 2013 foi de 20,5%. Entre os dez distritos policiais que mais notificaram roubo no mês passado, sete ficam na zona sul, incluindo os dois primeiros colocados do ranking: o 98.º DP (Jardim Miriam) e o 47.º DP (Capão Redondo).

Com 431 casos em novembro, o Jardim Miriam passou a ser a região que mais sofre com roubos na capital. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o crescimento foi de cerca de 127%, o maior registrado. Em seguida está o Capão Redondo, com 354 notificações — cerca de 47,5% a mais do que em 2013.

De acordo com a Folha de S.Paulo, apenas 2% dos roubos são solucionados, segundo informações fornecidas pela própria Secretaria de Estado da Segurança Pública.

HOMICÍDIO EM QUEDA

Enquanto o número de roubos cresce, as ocorrências de homicídio são menores. Segundo a SSP, menos pessoas foram assassinadas na capital: houve 87 ocorrências de homicídio doloso (quando há intenção de matar) em novembro — 13,9% menos que no mesmo mês de 2013, com 101 casos.

O Parque Santo Antônio teve o maior número de crimes: seis assassinatos. O distrito é seguido pelo 37.º DP (Campo Limpo), zona sul, e pelo 73.º DP (Jaçanã), zona norte, além do 54.º DP (Cidade Tiradentes) e do 64.º DP (Cidade AE Carvalho), ambos na zona leste. Cada um deles registrou quatro mortes.

(Com Estadão Conteúdo)