COMPORTAMENTO
22/12/2014 14:56 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

3 coisas que impedem as mulheres de conquistarem altos cargos executivos

Colin Anderson via Getty Images

Quando falamos de mulheres que conseguem alcançar o verdadeiro e significativo sucesso no trabalho, o conselho mais comum, dado nos últimos dois anos, gira em torno do papel que as mulheres desempenham na determinação de suas carreiras.

Livros como o da autora Sheryl Sandberg, Lean In (“Faça Acontecer - Lean In – Mulheres, Trabalho e Vontade de Liderar”), focado em várias táticas e estratégias que as profissionais mulheres podem usar para obter os cargos de gerência sênior que aspiram, conhecidos também como cargos executivos C-suite, ou executivos a nível de chefia. Mas, um novo relatório revela que a responsabilidade recai também sobre seus superiores.

No mais recente informe da empresa de consultoria Bain & Co, entitulado Everyday Moments Of Truth: Frontline Managers Are Key To Women's Career Aspirations, os coautores Julie Coffman e Bill Neuenfeldt exploram as razões pelas quais, apesar de termos um elevado número de mulheres que obtêm um nível avançado de graduação e são bem-sucedidas em cargos iniciais e de nível médio, ainda há muito poucas prosperando no topo. O estudo analisou mulheres em ambientes corporativos de várias indústrias.

"Uma das maiores revelações da pesquisa é que tanto homens quanto mulheres entram no local de trabalho com aspirações em níveis equivalentes - em nossa experiência, as mulheres chegam com maiores níveis de aspiração para alcançarem o topo – mas logo vemos um grande declínio no número de mulheres experientes nessas empresas e que têm mais tempo de casa", disse Coffman ao The Huffington Post. "De alguma forma, elas acabam tendo menos certeza de que realmente querem ocupar essas posições de liderança, enquanto que os homens que têm dúvidas não parecem se intimidar."

Muitos podem pensar que esta mudança coincide com o desejo ou a decisão das mulheres de começarem uma família, mas as amostras do estudo não mostraram nenhuma diferença perceptível nas respostas de mulheres com ou sem filhos, funcionárias novas ou experientes. Em vez disso, o relatório expôs três elementos em particular, que afetam o sucesso da carreira das mulheres e, ao que parece, têm menos a ver com elas e muito mais a ver com o seu meio.

Aqui estão os três fatores no ambiente de trabalho que impedem as mulheres a aspirarem a cargos de topo, de acordo com o relatório.

1. O perfil convencional do líder bem-sucedido não parece tão atraente.

job description

Muitas mulheres não consideram que os valores e ideais incentivados dentro das empresas, para promoções sejam particularmente inspiradoras.

"A ideia de que você tem que estar sempre 'conectado' ou ter o cliente de maior perfil, ou ainda ser muito adepto de network - o que pode ou não estarem listadas como critérios de promoção, mas são ainda habilidades percebidas como fundamentais a fim de sair na frente - são menos atraentes para as mulheres", disse Coffman, que tem atuado também como presidente do Conselho de Liderança Global das Mulheres da Bain, durante os últimos cinco anos. "Elas não acham que sejam esse tipo de pessoa e o perfil de pessoa bem-sucedida talvez seja demasiado limitado."

2. Elas não têm uma relação ativa de apoio de seus supervisores.

thinking

As participantes que puderam responder positivamente a pergunta "Você sente que tem um supervisor que a apoia e está interessado em ajudá-la a desenvolver a sua carreira?" mantinha níveis mais elevados de aspiração em alcançar um nível maior na empresa do que aquelas que responderam negativamente.

A presença de um supervisor, que está ativamente ajudando os funcionários a avançarem em suas carreiras, tem um efeito substancial no nível de interesse dos funcionários no progresso - especialmente com relação às mulheres. Os homens querem o apoio de um supervisor também, mas a ausência dele não parece afetá-los tanto. Ter esse sistema de suporte incorporado não só proporciona um impulso moral às funcionárias, mas também ajuda a produzir um trabalho de maior qualidade que, por sua vez, pode fazê-las avançar em suas carreiras.

3. Elas não enxergam exemplos para se identificar dentro da empresa.

woman look up

"Será que elas olham para cima e veem que o estilo de liderança ou feedback está sendo personificado pelos líderes da empresa?", perguntou Coffman. "Será que elas sentem como se não tivesse ninguém na liderança sênior para observarem como um modelo a seguir?"

Frequentemente, pelas mulheres não costumarem ver outras mulheres em posição de liderança, as quais elas se esforçariam em alcançar, isso torna difícil para elas se imaginarem conquistando tais papéis. Esta falta de modelo torna ainda mais difícil desenvolver um relacionamento individual com o chefe, o que ajudaria a se sentirem confortáveis com a ideia de mirar alto e serem apoiadas em sua tentativa de obter isso.

"Muitas mulheres, na minha opinião pessoal, procuram algo que não existe", disse Coffman sobre encontrar um modelo a seguir. "Há muito poucas mulheres em cargos de liderança, e se você acha que o único modelo que existe para você é uma mulher em posição sênior, ou quem tem a sua mesma situação familiar ou é de sua mesma cidade natal ou que participa da sua mesma universidade, em algum momento, é como tentar encontrar uma agulha num palheiro. Em vez de ter um modelo a seguir, pense em reunir um conselho privado de diretores - um conjunto de indivíduos que tenham competências em diferentes áreas e que sejam significativos para você, e juntos, incorporem as coisas que você está procurando."

O relatório comenta detalhadamente sobre como as mulheres, ao buscarem avançar da gerência média para a sênior, de repente perdem a confiança necessária substituindo-a pela dúvida de si mesmas. Porém, mais importante do que isso, é o desaparecimento dramático de suas aspirações. Rejuvenescer esse espírito não é apenas trabalho das mulheres, mas é também o trabalho de seus gerentes.