NOTÍCIAS
16/12/2014 18:49 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Justiça acolhe denúncia contra 36 investigados pela Operação Lava Jato, de fraudes em licitação e desvio de dinheiro público

Montagem/Estadão Conteúdo

O juiz federal Sérgio Moro abriu nesta terça-feira (16) ação penal contra mais dez investigados ligados às empreiteiras Camargo Correa e UTC Engenharia. Com mais essa ação, 36 dos 39 investigados na Operação Lava Jato se tornaram réus em ações penais oriundas da investigação.

Além do doleiro Alberto Youseff e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que foram denunciados em todas as ações da sétima fase da operação, tornaram-se réus na nova ação penal: Dalton Avancini, Eduardo Hermerlino Leite e João Ricardo Auler. Todos são dirigentes da Camargo Correa.

Segundo o Ministério Público, a empresa simulou contratos de prestação de serviços superfaturados.

O presidente da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, também passou a ser réu nesta ação.

Segundo depoimentos de delação premiada, Pessoa coordenava o funcionamento do cartel entre as empreiteiras que tinham contratos com a Petrobras.

Moro ainda deve julgar pedido de recebimento de denúncia contra o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró, o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, e Júlio Almeida Camargo, da empresa Toyo Setal.

Moro já aceitou denúncia contra executivos das empresas Engevix, OAS, Galvão Engenharia e Mendes Júnior.

LEIA MAIS:

- Lava Jato: Políticos recebiam propina da Lava Jato em casa, diz reportagem da revista Veja

- Gerente da Petrobras alertou Graça Foster sobre desvios. E foi afastada