NOTÍCIAS
15/11/2014 18:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:47 -02

17 destinos imperdíveis até que fiquem famosos

ThinkStock

Em um mundo de armadilhas para turistas, experiências frustrantes, destinos lotados e que não correspondem às expectativas, não é à toa que sentimos um enorme desgaste quando pensamos em viajar.

É hora de renovar sua lista de desejos com destinos promissores no planeta que estão muito longe do alcance dos turistas. Visite esses destinos em ascensão agora, e um dia você dirá com orgulho “Eu conheci esses lugares quando...

  • José Ignacio, Uruguai
    ThinkStock
    Cerca de 300 pessoas realmente moram no balneário, mas no verão José Ignacio fica lotada de celebridades latinas como Shakira. Um novo hotel de luxo, Bahia Vik, foi inaugurado neste ano, e José Ignacio se prepara para sediar uma feira de arte internacional em 2015. Você ainda tem tempo de passear pelas estilosas botiques boêmias e desfrutar de saborosos filés no La Huella em paz, (quase) sem ser incomodado pelos paparazzi.
  • Koh Rong, Camboja
    ThinkStock
    Visitar essa ilha do Camboja é como pisar no protetor de tela do computador. Com apenas alguns bangalôs, mergulhos incríveis, aldeias de pescadores (não há estradas!), muitos dizem que se parece com a Tailândia de 20 anos atrás, antes de os turistas invadirem as praias desertas. Balsas começaram a transportar turistas regularmente para Koh Rong apenas há alguns anos, mas o clima ainda é bem tranquilo... Até que alguém descubra como construir um aeroporto.
  • Bangladesh
    ThinkStock
    Em breve, alguém vai se dar conta que Bangladesh tem a praia natural mais extensa do mundo. Embora seja desconhecida da maioria dos turistas, o país oferece um paraíso de ilhas, aldeias, mesquitas, selvas e manguezais. Pegue um voo com rotas para o país, e faça um passeio de barco quando chegar lá (apenas fique longe de protestos e “encontros políticos”, segundo recomendação do Departamento de Estado dos EUA).
  • Sofia, Bulgária
    ThinkStock
    Sofia foi eleita a cidade mais barata da Europa em 2014, segundo o site Price of Travel. Temos certeza de que a capital da Bulgária não será um lugar secreto por muito tempo: é muito boa para caminhar, e possui uma atmosfera jovem e cosmopolita mesclada com igrejas ornamentadas, mercados ao ar livre, e arquitetura otomana.
  • Ambergris Caye, Belize
    ThinkStock
    Belize está prestes a se tornar o mais novo ponto turístico da América Central e, se isso acontecer, Ambergris Caye será seu principal destino. Ambergris foi classificada como “Destino em Alta” pelo TripAdvisor no ano passado, provavelmente porque os turistas estão descobrindo o enorme potencial de mergulho do Grande Buraco Azul.
  • Mianmar
    ThinkStock
    A indústria do turismo de Mianmar está “fervendo”: apenas 300 mil pessoas visitaram o país em 2010 mas, três anos depois, o número saltou para mais de 2 milhões de turistas. Antes que os preços acompanhem essa onda, passeie de barco no lago Inle, explore um templo em uma caverna escura, e veja o pôr do sol refletindo-se no templo budista Shwedagon Paya.
  • Roatán, Honduras
    ThinkStock
    Roatán não ocupa o topo da lista das ilhas do Caribe dos amantes de praia, mas só porque ainda não ouviram falar dela. Cruzeiros começaram a fazer paradas em Roatán apenas em 2005. Destemidos, mergulhadores buscam Roatán para explorar recifes perfeitos a cerca de 56 quilômetros da costa. É possível fazer viagens diárias para vários pontos, onde você provavelmente será o único ser humano em uma minúscula faixa de areia. Voos para Roatán não são muito frequentes. Garanta o seu antes que o segredo seja descoberto.
  • Riga, Letônia
    ThinkStock
    A Letônia é o segredo mais bem guardado da Europa, mas tudo pode mudar agora que Riga foi escolhida a Capital Europeia da Cultura de 2014. A cidade também está entre os destinos mais baratos da Europa para mochileiros neste ano, com um custo médio de US$ 33 por dia que inclui comida, alojamento, transporte e lazer. Corra e explore a Cidade Antiga de Riga, suba na torre de São Pedro e faça um programa chique indo à Ópera Nacional da Letônia.
  • Apúlia, Itália
    ThinkStock
    Com as viagens gastronômicas em alta, Apúlia vai se tornar um nome familiar. No salto da bota da Itália, a dieta mediterrânea assume umas de suas formas mais puras e deliciosas: os alimentos (como azeite, alcachofras e salame) são produzidos localmente, os restaurantes são pitorescos, mas de alta qualidade e você pode dormir em um hotel fazenda... chegamos a mencionar que tudo isso acontece à beira-mar?
  • Zâmbia e Zimbábue
    ThinkStock
    Ok, não é possível que um lugar tão bonito como Victoria Falls ainda não seja famoso. Mas o aeroporto mais próximo foi recentemente ampliado, facilitando o acesso de milhares de viajantes internacionais a esta maravilha natural na fronteira dos dois países. Não muito longe está o Parque Nacional Hwange, com uma “quantidade absurda de animais selvagens”, como a maior população de elefantes do mundo (mais de 30 mil).
  • York, Reino Unido
    ThinkStock
    Além dos charmosos tradicionais pubs, cafés, casas de chá (algumas funcionam em casas do século 16!), York exibe com orgulho uma das maiores catedrais góticas da Europa. O Tour de France passou pela região em meados do ano, inevitavelmente atraindo visitantes para a magia dessa pequena cidade histórica.
  • Busan, Coreia do Sul
    ThinkStock
    Quando se cansam de Seul, os turistas provavelmente vão se aventurar por Busan, com seus inúmeros templos majestosos. Esse “destino em alta” também conta com um impressionante museu de arte, um santuário de pássaros ao ar livre, e um mercado de peixes com lulas vivas de alta qualidade. Quando o templo Samkwang se ilumina no aniversário de Buda, tudo se transforma.
  • Manila, Filipinas
    ThinkStock
    Congestionamentos e pobreza estão presentes, mas isso não significa que você deva fugir do “belo caos” de Manila. De acordo com análises de custo, o preço médio de uma refeição com três pratos é de apenas R$ 47, comparados com os R$ 248 em outras grandes cidades. Não seria uma surpresa se mochileiros cansados da Tailândia começarem a desembarcar nas Filipinas em breve – aproveite as galerias de arte de Manila, a abundante comida caseira e o museu de sapatos (com a coleção de Imelda Marcos, e localizado nos arredores da cidade) enquanto puder.
  • Phu Quoc, Vietnã
    Esta ilha vietnamita é o antídoto perfeito para a agitada Baía de Ha Long, onde mochileiros se reúnem para andar de barco, olhar a paisagem e, bem, beber MUITO. Se você quer admirar a natureza em um ambiente mais calmo, Phu Quoc é o lugar para alugar uma moto e percorrer as estradas de terra vermelha antes de mergulhar no oceano vazio. Quase todo mundo concorda que Phu Quoc tem tudo para se tornar a próxima atração turística do Vietnã, mas ainda é “bem pouco desenvolvida”.
  • Cingapura
    ThinkStock
    Colocada pelo Lonely Planet no topo da lista de países para serem visitados em 2015, Cingapura agora é um destino em alta. Você nunca poderia imaginar que a ilha industrial é palco de jardins deslumbrantes e uma das maiores cachoeiras artificiais do planeta, sem mencionar os luxuosos hotéis. Localizada 57 andares acima da cidade, a piscina de borda infinita na cobertura SkyPark, do Hotel Marina Bay Sands, deve se tornar o ponto de encontro favorito de todo mochileiro.
  • Kep, Camboja
    ThinkStock
    Está no limite para um avanço do turismo (ainda há resquícios do boom nos anos 20), mas por enquanto Kep é mais do que suficientemente autêntica para ser desfrutada. Amantes de frutos do mar devem ir apenas pelo mercado de caranguejos à beira-mar, onde os itens vendidos saem diretamente do oceano e depois são perfeitamente preparados em restaurantes rústicos sobre palafitas.
  • Salinas Grandes, Argentina
    ThinkStock
    Escondido no deserto, você pode pensar que esse enorme lago seco é um campo de neve – mas um olhar mais de perto revela uma salina de cerca de 200 quilômetros quadrados que brilha como um espelho gigante quando chove. As Salinas Grandes são de difícil acesso, mas os interessados provavelmente devem seguir a trilha quando estiverem cansados das Salinas de Uyuni, na Bolívia, que são bem mais conhecidas e cheia de turistas.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.