NOTÍCIAS

Polícia mata seis pessoas por dia no Brasil

10/11/2014 12:50 BRST | Atualizado 26/01/2017 21:45 BRST
SEVERINO SILVA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

No Brasil, a polícia mata seis pessoas por dia. Esta é a média de cidadãos mortos por policiais brasileiros no período de 2009 e 2013. Em cinco anos, foram 11.197 óbitos provocados pelos homens da lei — a polícia norte-americana, por exemplo, levou 30 anos para matar 11.090 pessoas.

Estes números fazem parte do levantamento que integra o oitavo Anuário Brasileiro de Segurança Pública do Fórum Brasileiro de Segurança, a ser divulgado amanhã (11) e adiantado hoje na Folha de S.Paulo. Ele traz ainda uma classificação de quais tropas são mais letais — Rio de Janeiro encabeça a lista; em seguida vêm São Paulo e Bahia.

Apesar de ser campeã no rankings de mortes de civis (como aconteceu em quase todos os anos do levantamento), a polícia carioca registrou significativa redução na quantidade de homicídios: de 1.048 em 2009 para 416 em 2013.

"A única notícia boa desse cenário são os dados cariocas. Desde a implantação das UPPs, o Rio tem tido uma redução expressiva de letalidade", afirma a diretora-executiva do Fórum, Samira Bueno. "[Esta é] A única notícia boa desse cenário extremamente triste. Seis pessoas mortas por dia é muita coisa."

São Paulo, segundo no ranking das forças policiais que mais matam no Brasil, também teve redução no número de mortes por intervenção policial: em cinco anos, elas caíram de 566 para 364 (queda de 36%). Contudo, houve aumento de quase 40% dos homicídios praticados por policiais no horário folga.

VIOLÊNCIA CUSTA 5,4% DO PIB

Pela primeira vez, o anuário fez a soma dos valores gastos com a violência no Brasil. O valor do chamado é expressivo: no ano passado, o custo da violência foi de R$ 258 bilhões — 5,4% do PIB (Produto Interno Bruto).

De acordo com O Globo, a perda de capital humano corresponde à maior parte do valor gasto em 2013: R$ 114 bilhões. A este valor, somam-se R$ 39 bilhões gastos com contratação de serviços de segurança privada, R$ 36 bilhões destinados a seguros contra roubos e furtos e R$ 3 bilhões pagos ao sistema público de saúde. A soma destas despesas, consideradas pelo estudo o "custo social da violência", chegou a R$ 192 bilhões em 2013 (3,97% do PIB).

Outros R$ 4,9 bilhões foram investidos na manutenção de prisões e unidades de cumprimento de medidas socioeducativas, enquanto investimentos governamentais em segurança pública totalizaram R$ 61,1 bilhões — aumento de 8,65% em relação ao ano anterior.

Com isso, os gastos das três esferas de governo com o setor em 2013 representou 1,26% do PIB. Vale a comparação com outros países (e o retorno que tais investimentos geram): os Estados Unidos gastam 1% com segurança pública e a União Europeia, 1,3%. Ainda que o custo aqui seja maior que em outras nações, o Brasil teve 24,8 homicídios por grupo de 100 mil habitantes no ano passado, enquanto os EUA registram uma taxa de 4,7 e a UE, de 1,1.

LEIA TAMBÉM

- PM de SP mata três vezes mais negros do que brancos (ESTUDO)

- Para 81% dos brasileiros, é 'fácil desobedecer às leis', segundo pesquisa da FGV