NOTÍCIAS
07/11/2014 09:06 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Da infância à carreira política: 15 coisas que você precisa saber sobre o presidente da Rússia, Valdimir Putin

Mark Kolbe / Getty Images

Quando a crise da Ucrânia se agravou, em fevereiro, muitos especialistas alemães em Rússia foram pegos no contrapé. Quase nenhum deles tinha previsto que a revolução em Kiev seria seguida pelos eventos na Crimeia – entre outros motivos, porque muitos jornalistas e cientistas tinham interpretado Vladimir Putin da maneira errada.

Muito se falou do presidente russo desde então, mas Putin continua a surpreender as audiências do mundo todo. Estes 15 fatos vão te ajudar a entender melhor o líder russo.

1. A mãe de Vladimir Putin sobreviveu ao cerco de Leningrado.

De 1941 a 1944, tropas alemãs e finlandesas bloquearam sistematicamente todos os suprimentos para Leningrado, com o objetivo de matar de fome os moradores da metrópole. O episódio é considerado um dos crimes de guerra mais crueis cometidos pela Wehrmacht em solo russo. A mãe de Putin, Maria Ivanovna, sobreviveu ao cerco. Um milhão de pessoas morreram, entre elas um irmão do ainda não-nascido Vladimir.

2. Ele foi criado sem emoções.

Em um documentário da rede pública alemã ARD chamado “Ich, Putin”(Eu, Putin), o líder russo disse ao jornalista Huber Seipelt:

Não posso dizer que éramos uma família muito emocional. Que conversássemos muito. Éramos todos reservados. Por outro lado, sempre nos demos muito bem. Meus pais ficaram juntos muitos anos, até o fim de suas vidas. Mas nunca tive contato com nada emocional, feitos heroicos, dificuldades ou tragédias. Eles não falavam sobre isso.

3. O pai de Putin era um “verdadeiro proletário”.

Sergej Rodulgin, amigo de infância do presidente, diz que o pai de Putin amava o filho, mas sempre via algo errado nele. “Ele tinha medo de parecer indulgente”, disse Rodulgin a Seipelt.

4. Ele entrou no judô para “manter seu lugar no grupo”.

Putin, um adolescente magro, percebeu que seus colegas estavam ficando maiores durante a puberdade. Foi por isso que, segundo ele próprio, entrou para o judô. Ele queria se afirmar.

5. Ele só contou para a mulher que trabalhava como agente secreto pouco antes do casamento.

“Se alguém precisa falar que trabalha para uma agência de inteligência, não tem lugar nela”, disse Putin a Seipelt.

6. Putin acredita que o Ocidente teme a Rússia.

O começo de “Ich, Putin” mostra um diálogo que pode parecer bizarro diante dos eventos dos últimos meses.

“De onde vem essa atitude negativa do Ocidente em relação a você?”

- “Da ansiedade”.

- “Ansiedade por sua causa?”

- “Por causa da Rússia. Com nossa escala, nossas armas atômicas e nossas possibilidades em outras áreas. Mas isso é um pensamento antiquado.”

7. Putin fala alemão perfeitamente.

Ele o provou, por exemplo, em seu discurso de 2001 no Bundestag. Putin passou quase cinco anos como agente da KGB em Dresden. Quando o governo da Alemanha Oriental começou a ruir, em 1990, Putin foi mandado de volta para Moscou.

8. Ele acredita que o fim da União Soviética foi “a maior catástrofe geopolítica do século 20”. Mas não tem nostalgia pelos tempos soviéticos.

É verdade que Putin tem afinidade pelos símbolos de poder da União Soviética: ele reintroduziu o hino soviético com uma nova letra, por exemplo.

Mas quase nada resta das conquistas sociais da era Soviética. Tome o estado miserável da saúde pública na Rússia, assim como a rede de segurança financeira.

No fim de 2011, 16% dos russos viviam abaixo da já miserável linha da pobreza (US$ 192 ao mês). Por outro lado, os ricos do país estão bem: pagam apenas 13% de imposto de renda desde o começo do século.

9. Putin gosta de se mostrar como bom jogador de hóquei no gelo.

Apesar de treinar por horas a fio num rinque na periferia de Moscou, Putin não joga muito bem. Mas o hóquei é o esporte nacional do país e pode ser comparado ao futebol na Alemanha quando se trata de ganhar popularidade.

10. Apesar das questões domésticas, Putin tem a reputação de ter recolocado a Rússia “de pé”.

Isso tem muito a ver com o fato de que a Rússia atravessou uma grave crise durante os caóticos anos 1990, que não só foram um choque na economia mas também na burocracia, na vida cultural, na coesão social e no conceito de Estado.

Quando Putin chegou ao poder, em 2000, ele reformou o país e o reconstruiu com base em princípios autocráticos. A Rússia colheu muitos frutos nos anos seguintes, especialmente com a exportação de recursos naturais.

Mas também é verdade que o crescimento econômico vem desacelerando desde antes da crise da Crimeia. A Rússia precisa de investimentos. Mas eles não devem voltar tão cedo, por causa das sanções internacionais.

11. Mesmo na sua casa de campo ele mantém uma “entourage como P.Diddy”.

Pelo menos é isso o que diz o fotógrafo Platon, autor de um famoso retrato de Putin.

12. Putin gosta dos Beatles.

Platon também diz que Paul é o Beatle favorito do líder russo. E a música favorita é provavelmente a mais melancólica da banda: “Yesterday”.

13. Putin foi líder do partido “Rússia Unida” por quatro anos sem ser membro.

Ele foi convidado a ser o presidente, o que mais uma vez demonstra sua influência no país.

14. Ele não se considera um diplomata.

Questionado por um repórter da ARD, ele respondeu certa vez: “Absolutamente não”.

15. Muito pelo contrário: ele humilhou seus oponentes em várias ocasiões.

Por exemplo, ele ameaçou ao vivo na TV o magnata do petróleo Mikhail Khodorkovsky com uma investigação tributária. Khodorkovsky foi preso logo depois.

Outro episódio que vem à mente é sua aparição em uma fábrica de motores náuticos que estava quase falida. Putin disse para os executivos da empresa: “Quando disse que vinha aqui, eles pularam como baratas. Com sua ambição, sua incompetência e sua pura ganância eles fizeram essas pessoas de reféms.

"

Os acionistas da empresa tiveram de assinar em público um contrato que garantia que a fábrica permaneceria aberta.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.