NOTÍCIAS
06/11/2014 14:56 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Nasr acerta com a Sauber e Brasil terá dois pilotos na F1 em 2015

Reprodução / Twitter

O Brasil voltará a ter dois representantes na Fórmula 1 em 2015. Nesta quarta-feira (5) a Sauber anunciou o piloto Felipe Nasr como titular da equipe para a próxima temporada e ele terá como companheiro de equipe o sueco Marcus Ericsson, atual piloto da Caterham. Nasr tem 22 anos e será o 31º brasileiro a participar da categoria.

"É um passo muito importante na minha carreira assinar com a Sauber. É um momento inesquecível, um sonho que se realiza. A equipe foi responsável pela chegada de grandes nomes à Fórmula 1, como Felipe Massa, Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel. Tenho orgulho de fazer parte dessa família", disse o piloto, em comunicado oficial da escuderia. O brasiliense de 22 anos é atualmente piloto reserva e de testes da Williams e neste fim de semana vai participar dos treinos livres para o GP do Brasil, em Interlagos.

Na GP2 desde 2012, o brasiliense é o atual vice-líder da temporada, com quatro vitórias, e tem como principal título na carreira a Fórmula 3 inglesa, em 2011. Nasr começou no kart ainda criança, quando foi duas vezes vice-campeão brasileiro e teve o primeiro contato com a Fórmula 1 neste ano, quando ocupou a vaga do finlandês Valtteri Bottas em algumas sessões de treinos livres, às sextas-feiras.

Como Massa já renovou contrato com a Williams para o ano que vem, o Brasil voltará a ter dois representantes na Fórmula 1, o que não ocorria há dois anos, quando, além de Massa, Bruno Senna também participava da categoria.

No comunicado, a Sauber destaca a importância do Banco do Brasil como parceiro na assinatura do contrato, que terá a duração de dois anos. "Nós temos acompanhado a carreira do Felipe por algum tempo e ele realmente merece essa vaga na Fórmula 1, porque teve uma carreira de sucesso em categorias inferiores", disse a chefe da equipe, a indiana Monisha Kaltenborn.

Maior banco do País, o Banco do Brasil tem parceria com Nasr desde a GP2 e acompanhou o piloto quando ele passou a integrar a equipe Williams, no início deste ano. Agora, com a transferência do brasileiro para a Sauber, o patrocinador deve deixar o time britânico. Nenhuma das partes revelou os valores envolvidos na negociação de patrocínio com o banco e a Sauber.

Além da alegria pela contratação, Nasr terá como desafio ajudar a escuderia suíça a melhorar o carro. "A gente tem condições de construir um carro legal para 2015. Tem estrutura para ter um rendimento bem melhor do que foi este ano", disse em entrevista à TV Globo. Nesta temporada, a equipe ainda não pontuou.