NOTÍCIAS
13/10/2014 15:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Foto por baixo de saia não é violação de privacidade, diz juíza americana

Lasse Kristensen via Getty Images

Uma juíza de Washington rejeitou acusações contra um homem que foi flagrado tirando fotos por baixo das saias de mulheres no Lincoln Memorial, nos EUA, alegando que nenhuma pessoa “tem uma expectativa de privacidade razoável” quando “vestida e posicionada” da maneira em que essas mulheres estavam quando foram fotografadas (de saia e sentadas em degraus).

Christopher Cleveland foi preso em junho de 2013, acusado de bater fotos de mulheres que usavam vestidos e saias e estavam sentadas nos degraus do memorial.

“Este tribunal considera que nenhum indivíduo vestido e posicionado de tal maneira em uma área pública, em plena luz do dia, na presença de inúmeros outros indivíduos, poderia ter uma expectativa razoável de privacidade”, escreveu a juíza Juliet McKenna em seu veredito.

A ação judicial indica que os policiais encontraram fotos de nádegas e virilhas na câmera de Cleveland - ao ser abordado, ele tentou remover o cartão de memória da máquina. A sentença proferida na semana passada faz com que essas imagens não sejam usadas como evidência.

Ao explicar sua decisão, McKenna afirmou que “as imagens capturadas não eram ‘vislumbres incidentais’ e, de fato, eram imagens que foram expostas ao público sem que fossem necessárias ‘lentes extraordinárias’ para vê-las”.

McKenna ainda afirma que a atitude do homem foi “repugnante e perturbadora”. Mas, aos olhos da juíza, não foi ilegal, e não é um argumento pertinente para que ele seja preso.