NOTÍCIAS
13/10/2014 18:59 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Dilma Rousseff volta a criticar Armínio Fraga, apontado como ministro da Fazenda em eventual governo de Aécio Neves

Montagem/Estadão

A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) atacou Armínio Fraga, nome apontado por Aécio Neves (PSDB) para ser ministro da Fazenda caso seja eleito, ao apresentar reportagem em que Fraga teria dito: “O salário mínimo cresceu muito”.

A fala, ressaltada no programa eleitoral desta segunda-feira (13), busca reforçar a imagem de Aécio como elitista, mostrando suposta distância entre o mineiro e os eleitores mais pobres do país.

Dilma criticou Aécio afirmando que ele não reconheceu os problemas nas áreas de saúde e educação durante seu governo em Minas Gerais.

Para reforçar a ideia de que "quem conhece não vota no candidato", a propaganda afirmou que o estado não cumpre o piso nacional dos professores no setor e teve seu candidato ao governo, Pimenta da Veiga, rejeitado pela população mineira no primeiro turno das eleições.

Na propaganda, ainda há um vídeo, também divulgado na página do Facebook, sobre os projetos e obras de infra estrutura realizadas pelo governo federal em Pernambuco. A peça destaca os R$ 5,6 bilhões investidos no estado, citando as obras do BRT e da expansão do metrô.

Após o anúncio do apoio de Marina Silva e da família de Eduardo Campos, o vídeo é uma estratégia de conseguir mais votos em Pernambuco, já que os eleitores do estado devem votar em Aécio.

Os avanços dos programas na educação, como Pronatec, e a criação do Programa Mais Médicos, também foram ressaltados ao longo da peça.

Dilma ainda contou com o reforço da presidente da União Nacional dos Estudantes, Vic Barros, entre outros representantes de lideranças estudantis.