NOTÍCIAS
05/10/2014 23:51 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:03 -02

PMDB mantém maior bancada no senado; partido terá, pelo menos, 17 representantes na casa

Divulgação/Senado

O PMDB continuará com a maior bancada do Senado. O partido terá no Senado 17 cadeiras "certas", mas poderá aumentar o número para até 19, dependendo das disputas do segundo turno.

Com essa configuração, seja sob a Presidência da petista Dilma Rousseff (PT) ou do tucano Aécio Neves (PSDB), a legenda continuará a ditar os rumos da agenda do Senado a partir de 2015.

Assim como no caso da Câmara dos Deputados, no entanto, também houve no Senado uma pulverização das vagas entre dez partidos políticos (o que já ocorria antes), mas com partidos como PSD, PSB e DEM aumentando sua cota. PT e PSDB e PTB devem perder vagas.

Importantes apostas eleitorais dos peemedebistas, entretanto, não obtiveram êxito nas eleições. Dois aliados do ex-presidente José Sarney, o deputado federal e ex-ministro do Turismo de Dilma Gastão Vieira (MA) e o ex-senador Gilvam Borges (AP), não venceram as disputas nos Estados, perdendo, respectivamente, para Roberto Rocha (PSB) e Davi Alcolumbre (DEM).

Outro candidato que fracassou foi o ex-ministro Geddel Vieira Lima, derrotado por Otto Alencar (PSD) na Bahia.

Por outro lado, o partido reelegeu a senador Kátia Abreu (TO) e elegeu quatro novos nomes: a deputada Rose de Freitas (ES), Simone Tebet (MS), José Maranhão (PB), Dario (SC). Atualmente, a bancada tem 19 cadeiras no Senado.

O PT elegeu apenas dois nomes para a Casa, o ex-deputado federal Paulo Rocha, pelo Pará, e a deputada federal Fátima Bezerra, pelo Rio Grande do Norte. A bancada do PT terá, a partir de fevereiro do ano que vem, 11 cadeiras certas para o Senado, podendo chegar a ter 14 representantes, a julgar pelos resultados do segundo turno e se a senadora Marta Suplicy, atual ministra da Cultura, retornar ao Legislativo.

O PSDB e o PDT elegeram quatro senadores, menos apenas do que o PMDB, mas o primeiro deve ter uma redução de sua bancada atual.

O DEM surpreendeu ao eleger três senadores, dois dos quais novatos na Casa: Davi Alcolumbre e o deputado e líder ruralista Ronaldo Caiado (GO).

Foi ainda reeleita a senadora Maria do Carmo Alves (SE). Dessa forma, o partido terá cinco representantes no Senado. O PSB também obteve três cadeiras na Casa: o deputado e ex-jogador de futebol Romário (RJ), Roberto Rocha (MA) e Fernando Bezerra (PE).

Com isso, o partido terá seis senadores - mais do que as quatro que tem atualmente. Pode ainda ter um sétimo representante, se o líder do partido na Casa, Rodrigo Rollemberg (DF), não vencer a disputa do segundo turno ao governo da capital do país.