NOTÍCIAS
05/10/2014 22:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:03 -02

Mirando o 2º turno, Aécio relembra Campos e adota discurso de Marina: 'Meu governo será de todos os brasileiros'

EVELSON DE FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO

O candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB), que vai para o segundo turno das eleições presidenciais contra Dilma Rousseff (PT), adotou discurso de Marina Silva e citou Eduardo Campos visando atrair os votos da pessebista, em pronunciamento feito neste domingo (5) após resultado do primeiro turno.

O tucano começou agradecendo os votos dos brasileiros e disse que "se sente honrado em representar o sentimento de mudança". A fala é a mesma de Marina, que se apresentava como alternativa em relação à polarização PT X PSDB.

“A minha candidatura não é um conjunto de alianças. Todos aqueles que tiverem contribuição a este projeto serão bem-vindos. O projeto do meu governo é de todos os brasileiros”, disse Aécio.

Questionado sobre possível apoio de Marina a sua candidatura, Aécio disse que tem respeito pela candidata, frisando que "todos que se identificarem com sua plataforma de governo serão bem-vindos".

Entretanto, nem ele, nem Dilma divulgaram seus programas de governo completos, apenas discutiram parte das propostas durante a campanha.

O presidenciável também citou Eduardo Campos como um "grande amigo". Campos era candidato à Presidência pelo PSB, mas morreu em acidente aéreo. "Ao parceiro de sonhos, que foi acometido por um acidente, a minha reverência", disse.

Aécio agradeceu ainda os votos de Antonio Anastasia, eleito senador pelo estado de Minas Gerais, apontando-o como um "político completo". Anastasia é do PSDB e foi governador de Minas Gerais de março de 2010 a abril de 2014.

Votação expressiva

No primeiro turno, Dilma teve 41,55% dos votos válidos, seguida do Aécio, com 33,61%, e de Marina, com 21,30%. O resultado surpreendeu, já que a disputa entre o tucano e a pessebista estava acirrada pela vaga ao segundo turno, com os dois candidatos empatados tecnicamente.

Segundo analistas políticos, há maior probabilidade de os eleitores de Marina migrarem para o Aécio do que para Dilma.

O assunto teve repercussão nas redes sociais: