NOTÍCIAS
03/10/2014 13:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:57 -02

Presidente do Botafogo decide rescindir com Emerson e mais três

PAULO CAMPOS/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

Duramente criticado pela sua gestão à frente do Botafogo, Maurício Assumpção decidiu agir. Nesta sexta-feira (3), o presidente do clube anunciou que, por decisão pessoal, está rescindindo o contrato de quatro atletas: o atacante Emerson (emprestado pelo Corinthians), o zagueiro Bolívar, o lateral-direito Edilson e o lateral-esquerdo Julio Cesar.

"Todos os contratos estão rescindidos. Vinha amadurecendo a ideia e ontem (quinta-feira) comuniquei a algumas pessoas próximas que tomaria esta decisão. No fim do dia, liguei para o (Wilson) Gottardo (gerente de futebol) e falei que não era uma ingerência, mas que era uma decisão que o presidente está tomando", disse o dirigente, em entrevista coletiva.

Minutos antes, os quatro jogadores foram ao campo do Engenhão para treinar, mas foram liberados pelo técnico Vagner Mancini e por Gottardo. Edilson e Bolívar chegaram a se exercitar, enquanto Emerson subiu ao campo, ficou pouco, e voltou ao vestiário.

De acordo com Assumpção, todos haviam sido comunicados da decisão ainda na quinta e foram treinar porque quiseram. "Todos foram comunicados ontem à noite (quinta) pessoalmente por pessoas do Botafogo, menos o Emerson, que foi avisado por um agente. Todos receberam um documento por e-mail como o Bolívar recebeu da primeira vez."

"Tudo que acontece fica por conta do problema financeiro, o que não é exclusivo do Botafogo. Outros clubes passam pelo mesmo problema", alegou Assumpção, que só poupou um líder do elenco: o goleiro Jefferson, na seleção brasileira. "Ele (Jefferson) disse que faltava diretoria até para resolver problemas. Isso dá mostras de que as coisas não andavam bem."

O presidente do Botafogo disse que confia nos garotos das categorias de base, que têm cada vez mais que assumir a bronca, e assumiu toda a responsabilidade por um eventual rebaixamento: "Vou tomar atitudes que acham necessárias para o time não cair. Hoje estamos rebaixados. Quem é o responsável por isso sou eu".

O técnico Vagner Mancini não gostou da decisão da direção e colocou o cargo à disposição, mas a demissão não foi aceita por Assumpção. "Pelo trabalho, conhecimento do Mancini do elenco, acho ele a pessoa certa para resolver esse problema. Sou o único responsável por um possível rebaixamento. Não é que o Mancini resolve. Vai ficar na minha conta, já que a responsabilidade é minha, tenho que tomar as decisões."

Em meio à crise, o Botafogo entra em campo neste sábado, às 16h20, contra o Vitória, em Salvador. A equipe carioca tem 26 pontos, no 17.º lugar, dentro da zona de rebaixamento. O clube baiano está logo abaixo, em 16.º, enquanto o Palmeiras foi a 28 pontos depois de ganhar da Chapecoense na abertura da rodada, quinta à noite, jogando o Botafogo na degola.